Capitulo 14

N/A: O Capitulo não está betado, sim, a kah vai me matar. Mas eu não poderia esperar mais, pois vou inscrever i’ll be there for you no TwiContest 🙂

Enfim, todos leram o capitulo 13 de I’ll be there for you, a maioria gostou, mas teve duas leitoras que avisaram que iam parar de ler porque a fic perdeu a essência. Eu sei que ficou mesmo horrivel, mas no capitulo 14 tudo está mais explicado, então vão entender e espero que mude a opinião de vocês, Bella não é vadia :(.

Aproveitem o Capitulo! e… AH, eu já estou quase terminando o capitulo 15 *o mais esperado*.

Desculpa por não ter agradado a todas 😦 , eu queria muito ter tido esse privilegio.

***

2º Fase – Capitulo 14 – Convite

POV Bella

Tirei meu jaleco e o coloquei no meu armário.

– Bella! – Alice passou pela porta do vestiário, sorridente – Que tal almoçar comigo?

– Claro Alice! – Sorri. – Espera só um minuto, vou trocar de roupa.

Ela revirou os olhos.

– Acha que eu vou assim?! – Apontou para a roupa de serviço – Já disse para Aro que essas roupas são totalmente sem estilos…

– Alice, aqui é um hospital, não uma passarela. – Gargalhei – O que ele te respondeu?

– Falou para eu mudar de profissão…

Balancei a cabeça negativamente. Alice era minha única amiga, certo, talvez isso inclua jake… ou não?!

– Alice, Jacob é meu amigo, ou amiga?! – Indaguei rindo.

Ela franziu o cenho.

– Acho melhor… não sei, ele ainda é meio indeciso.

– Indeciso?! – Fechei a porta do meu armário e a encarei incrédula. – Qualquer homem que ele vê ele quer apalpar.

– Cá entre nós… – Alice se aproximou, tirando sua blusa e pondo a outra – É um desperdício total, você já viu aqueles músculos?! Se ele não fosse gay, eu pegava!

– E eu que sempre tive medo que meus pais me forçassem a ter algo com ele… – Comentei rindo. – Edward morria de ciúmes. Eu odiava Jake, sempre pensei que ele sentisse algo por mim, mas sabe o que ele me disse?!

– Não, o que?!

– Que era mais fácil ele pegar o Edward, do que eu.

Alice riu, mas depois ficou seria.

– E você que não tira esse tal Edward da cabeça…

Bufei, já ia começar aquele papo.

– Alice, não me estressa.

– Certo. – Ela assoviou, eu sabia que ela queria falar algo.

– Diga Alice.

Ela sentou-se no banco para por os sapatos, enquanto eu colocava minha blusa.

– É verdade que você disse não para Jhonny?! – Perguntou em um sussurro. Assenti. Ela balançou a cabeça negativamente – Bella eu sei que você não gosta que dêem opinião em sua vida, mas eu sou sua amiga, e quero o seu bem… – Ela levantou e segurou minha mão – Tenta viver, você já procurou esse cara eu sou testemunha disso. Quantas vezes você foi para Forks? Quantas vezes você foi para Massachusetts e não o encontrou?! Eu sei que você o ama, e muitas vezes disse para não desistir de reencontrá-lo, mas isso está fazendo mal para você. Quantos amigos você tem?! Só eu e Jake. Por quê?! Porque você não sai mais… não vive. Se for para reencontrá-lo, um dia você vai reencontrá-lo.

Assenti. Alice puxou-me para um abraço.

– Certo, talvez você tenha razão… – Sussurrei com a voz embargada. – Mas eu não consigo, é tão difícil. E ele jurou que iria me procurar…

– Talvez ele também esteja te procurando, mas você acha que ele ia gostar de te ver infeliz por causa dele?

– Eu entendi o recado, mas isso não significa que eu vou dar uma chance para Jhonny, sabe, eu cansei disso, eu só fico com esses caras para tentar tirar Edward da minha cabeça, mas isso só piora as coisas, estou me sentindo uma vadia!

– Vai virar frera?!

– Convite tentador. – Ri – Mas eu ainda tenho esperança de encontra-lo.

Alice sorriu.

– Certo, vamos almoçar, estou faminta!

– Vocês vão almoçar e nem me chamaram?! – Olhamos juntas para a porta, onde Jacob estava parado.

– Jake, pode afinar a voz, não há mais ninguém aqui… – Alice riu.

– Ai que bom! – Ele jogou os braços para frente e rodou os punhos. – Desmunhequei! Certo, vamos fazer tudo de novo… – Ele saiu do vestiário e entrou novamente empurrando a porta e saltitando – Estou rosa Pink! Vocês iam almoçar e nem me chamaram?! Suas peruas!

Tive que rir.

– Jake, controle-se! – O repreendi – Mas, quer almoçar conosco?!

– Tipo um programa de meninas? – Mordeu o dedão – Eu topo!

– Vamos então…

[…]

– E para sobremesa senhor?! – O garçom perguntou.

Jake deu um sorriso pervo.

– Pode ser voc…

Tapei sua boca.

– Eu quero um… não sei o que eu quero, pedi você Alice!

– Pode ser três Sundae! – Minha amiga sorriu – O meu é de morango com calda de chocolate.

– O meu é de morango. – Sorri. Destampei a boca de Jacob.

– O meu pode ser de Chocolate com cobertura de morango e se não for atrevimento, quero uma cereja vermelha encima, eu adoroo coisas vermelhas…

– Certo. Só um minuto. – O rapaz saiu, constrangido.

– Você traumatizou o garoto! – Alice jogou um guardanapo no moreno.

– Bella, me conta! – Jacob inclinou-se sobre a mesa. – Como está sendo viver com a bruaca?!

– O que?!

– Ele está se referindo a Renée… – Alice explicou.

– Está sendo… normal. – Dei de ombros.

Alice e Jacob reviraram os olhos, juntos.

– Bella, para de mentir! – Jake murmurou.

– Bella, não precisa fingir, sabemos que você odeia Renée… – Alice acusou.

– Eu não… eu não a odeio. – Bufei – Porque estamos falando sobre isso?!

– Porque você sempre foge desse assunto?! – Alice rebateu – Bells, você não é tão fria a ponto de perdoar sua mãe por tudo o que ela lhe causou…

– Concordo! – Jacob a apoiou – Ela fez você se separar daquele bofe, e ainda por cima fez você perder seu filho…

Ele tocou na ferida.

Apoiei o rosto em minhas mãos.

– A culpa não foi dela, eu atravessei a rua sem… sem olhar. – Fechei os olhos reprimindo as lágrimas.

– Você mesmo nos disse que só saiu correndo de lá, porque a bruaca te mandou abortar, mas isso é só um dos motivos para você não ter perdoado ela. – Jacob arrastou a cadeira para próximo de mim, prendi minha atenção no meu copo, eu não queria olhar para eles – Ela também fez você se distanciar de Edward, eu via como vocês se olhavam.

– Eu não quero mais falar sobre isso!

– Mas você precisa desabafar! – Alice insistiu.

– Eu… eu… – Solucei – Eu não quero alimentar esse ódio dentro de mim! Eu não quero me igualar a ela. O que vai adiantar ficar remoendo essas lembranças?! Elas só irão causar-me mais dor! Eu não quero! Renée precisa de mim, mesmo tendo feito tudo o que fez, ela é minha única família. O que querem? Que eu a deixe só?! Ela está doente, não tem dinheiro, e já está pagando por tudo o que me fez. – Ri ruidosamente – Renée nunca aceitou Edward, pois era pobre, olha agora a situação dela. Então deixem eu me enganar! Deixem-me pensar que não a odeio, já é difícil conviver com isso, não compliquem! É tão difícil… tudo está difícil desde de que Charlie se foi, ele era meu porto seguro, meu melhor amigo. Só quero isso.

– Certo. – Jacob enrolou seu dedo no meu cabelo – Eu até ficaria magoado se não soubesse que estou na lista das melhores amigas…

Ri, enxugando as lágrimas.

– Desculpa… nós só… queríamos ajudar. – Alice segurou minha mão.

– É, sorry dude.

– Tudo bem. – Dei de ombros – Talvez vocês estejam certos… Mas o que importa isso não vai fazer diferença.

O assunto mudou, agradeci por isso. Logo nosso Sundae chegou.

– Hoje, mulher bonita não paga. – Ele sorriu para Alice.

– Ah que bom! – Jacob inclinou-se – Vamos ganhar Sundae de graça!

– Me desculpa senhor… mas é só para AS MULHERES.

– Magoei. – Jake levou a mão ao peito, fingindo estar mesmo magoado.

– Jake, comporte-se! – O cotovelei.

– Desculpa diva, é da minha natureza.

– Vamos comer logo, temos que voltar para o hospital. – Alice nos apressou.

Depois que terminamos, pagamos a conta e voltamos para o hospital, o dia estava tranqüilo, poucos acidentes, poucos doentes…

– Bella! – Aro, o diretor do hospital, parou-me no corredor – Tem uma moça que deseja falar com você.

– Comigo?! – Indaguei confusa.

– Sim. – Ele sorriu – Ela é loira, disse ser sua prima.

– Minha prima…?! – Franzi a testa, então a fixa caiu – Ai meus Deus! Rosálie!

– Sim, é esse o nome dela.

– Céus, eu não há vejo desde que… desde que tinha 15 anos.

– Ela está na recepção.

– Obrigada Aro.

Praticamente corri para a recepção. Enquanto me aproximava, vi a loira de costas para mim. Sem duvida, era ela.

– Rose?! – Chamei.

Ela virou-se sorrindo.

– Bella! Oh meu Deus! – Ela caminhou até mim, excluindo o passo entre nós, e jogando-se em meus braços. – Você… – Ela afastou-se, olhando-me de cima abaixo – Cresceu.

Ri.

– Posso dizer o mesmo! – A olhei. – Você está linda, prima!

– Você também! – Ela pulou no mesmo lugar – Quanto tempo não nos víamos?! A uns… 10 anos?!

– Sim, mais ou menos isso. – Seguramos a mão uma da outra. – Mas me diga, porque devo a honra da sua ilustre visita?!

– Prima, eu vou me casar! – Ela jogou as mãos para o alto.

– Céus! – Murmurei incrédula, Rosálie casar?! Isso nunca pesou por minha mente – A Senhora Inconstante vai se casar, ai meus Deus, vem me conta isso. – A puxei até as cadeiras.

– Você não está ocupada?

– Não, hoje está tranqüilo. – Dei de ombros – Ande me conte! Como me achou aqui? Quando é o casamento? Quando deixou de pegar todos…

– Calma Isa! – Ela usou aquele apelido que me deu quando éramos menor – Bem, eu tenho meus contatos, achei seu endereço, fui ao seu apartamento e quase morri quando o garotinho atendeu.

– Ah, Anthony.

– Sim, ele ficou me olhando de um jeito engraçado, mas logo tia Renée apareceu, conversamos e ela passou o endereço do seu trabalho. – Ela sorriu – Mas vamos ao assunto principal, eu queria convidar você para ser minha madrinha, ao lado do meu cunhado, Jasper e uma amiga minha. Então, o que me diz?!

– Claro que eu aceito Rosálie! – A abracei – Vai ser uma honra ser sua madrinha.

– O casamento será daqui a um mês, na florida.

– Miami?! – Indaguei.

– Sim!

– Tenho tantas lembranças de nós duas lá… – Murmurei rindo. – Quando vou conhecer o condenado?!

– Então, minha mãe teve a idéia de fazer um jantar de noivado, eu queria saber o dia que você está disponível.

Sorri, apertei minhas mãos nas suas.

– Fica tranqüila, essa semana estou trabalhando das 06h30min ás 18h20min.

– Ótimo! Então depois te ligo, dizendo a hora e o local, leve Renée e Anthony.

– Estaremos lá.

Nós levantamos e se abraçamos novamente.

– Senti saudades de você Isa.

– Eu também Rose.

Quando nos afastamos, Rosálie olhava sobre meu ombro.

– Aquele é o Jacob?! – Apontou para trás de mim.

Virei-me, para olhar.

– Sim. – Ri.

– O Jake de La Push?!

– O mesmo. – Ri, ergui o braço chamando a atenção de Jacob, que não estava muito longe – Hei Jake!

Ele olhou para mim sorrindo, logo depois começou a caminhar em nossa direção, com a testa franzida.

– Oi Bella. – Ele falou com sua voz grossa.

– Jacob, não está reconhecendo?! – Apontei para a loira.

– Me desculpa, mas eu não me recordo.

– Vamos esclarecer a mente dele… – Zombei, indo para seu lado, ficando na ponta dos pés para sussurrar em seu ouvido – La push… primeiro beijo… minha prima…

– OMG! – Ele exclamou, em choque – Ew!

Rosálie recuou um passou.

Ri.

– Jake, também foi um prazer te rever. – Ela revirou os olhos.

– Digamos que eu mudei um pouco. Mas estou feliz em te ver, e oh meu Deus, que bolsa linda!

– Longa historia. – Dei de ombros.

– Me desculpem, mas eu preciso ir, nos vemos em breve Bella.

– Até mais Rose.

Despedimos-nos, passei o numero do meu celular para e ela, logo depois que Rosalie se foi, Jacob e eu começamos a supervisionar os pacientes que estavam internados.

– Não posso acreditar que dei meu primeiro beijo em uma menina… – Murmurou ele, enquanto caminhávamos pelo corredor.

– Foi legal. – Sorri – Éramos inocentes e bobos.

– E cegos…

– Rosálie me contou que você não, pois a língua na boca dela… – Contei, gargalhando.

– Me dá um desconto ok?! Era o meu primeiro beijo…

Continuamos o nosso trabalho, conversando sobre aquela época em que éramos praticamente, três crianças, e eu não gostava de Black, só fui com Rosálie para acoberta-lá.

POV Edward

Procurei meu acento e sentei-me. Emmett se sentou ao meu lado.

– Você não devia estar com sua noiva?! – Indaguei.

– É eu devia, mas queria conversar com você. – Olhei para Emmett e assenti, para que ele continuasse. – Você viu a amiga de Rosálie, está te dando um mole danado!

Bufei.

– Emmett, você sabe para aonde estamos indo?! – perguntei.

– Los Angeles, baby.

– Exato, e sabe o que posso encontrar em Los Angeles?! – Ele franziu a testa. Aparentando pensar. Resolvi ajuda-lo. – Bella Emmett, Bella.

Ele revirou os olhos.

– Edward, você já foi para lá e não a encontrou, desencana cara. Aquelas garotas com quem você se envolveu poderia ser agora sua namorada, mas prefere ficar ai, todo estressadinho.

– Emmett… – Trinquei os dentes – Vá para o seu lugar, não quero falar sobre isso.

– Ok, ok padrinho. – Meu irmão levantou-se e foi sentar-se ao lado de Rosálie.

Eu ainda não conseguia acreditar que eles iam se casar. O relacionamento deles começou de uma forma tão… estranha: Pelo twitter. E agora, estão a quase cinco anos, juntos.

Abri meu notebook e passei a finalizar alguns processos, depois mandaria para minha secretaria, e finalmente ficaria um pouco livre disso tudo.

– Edward?

Tirei os olhos do aparelho, para encarar a amiga de Rosálie: Tânya.

O que ela queria? Encher meu saco, sem duvida.

– Sim?!

– Meu lugar é ao seu lado, pode me dar licença?! – Jogou os cabelos para o lado, tentando ser sexy.

– Claro, me desculpe. – Encolhi minha perna, deixando-a passar.

Voltei a me concentrar no que estava fazendo.

Enfim, consegui tornar meu sonho em realidade. Dois meses depois que passei a cursar Stanford, fui transferido para Harvard em Londres, por meu grande empenho. Depois que me formei foi fácil arrumar um emprego. Consegui mudar a situação de minha família. Tenho tudo o que sempre quis, ou quase tudo. Ainda faltava o essencial: Bella. Eu a procurei, mas nenhum sinal dela… E o casamento de Emmett com Rosálie foi à deixa para que eu viesse para Los Angeles e a procurasse. E eu honrar minha palavra, eu jurei encontrá-la e vou encontrar, pois foi por ela que sou o que sou.

– Então, o que tanto faz nesse computador?

Virei para olhar Tânya, ela era bonita, mas não me atraia. Eu estava farto de dormir com mulheres para buscar nelas as qualidades de Bella, mas o que adiantava? No outro dia eu me sentia péssimo, pois não era ela e sim outra.

– Estou finalizando um processo. – Afrouxei minha gravata.

Senhores passageiros, coloquem o cinto, levantaremos vôo daqui alguns segundos.

Salvei meu arquivo, fechei meu notebook e prendi meu cinto – como a aeromoça pediu.

– Adoro Los Angeles. – Tânya continuou a tagarelar – Sabe, eu me formei na UCLA.

– Legal. – Fingi estar admirado.

O avião começou a decolar, a viagem estava tediosa e insuportável. A amiga de Rosálie não fechava a boca, fui obrigado a usar meus fones sem fio, ela ia falando e eu respondia “aham”. Olhei para o lado, onde minha mãe e meu pai estavam sentados.

Minha mãe estava com a cabeça pousada no ombro de meu pai, que a abraçava. Por um momento senti inveja. Eles se amavam e estavam juntos, e eu que até hoje sou apaixonado pela minha primeira namorada não tive a mesma sorte. A frente dos meus pais estavam os pais de Rosálie, e logo depois Emmett e ela. Todos com suas respectivas amadas e eu com uma tagarela do lado.

Talvez o destino tenha reservado algo grande para mim e Bella…

[…]

– Vamos ficar aqui por pouco tempo. – Rosálie falou, enquanto sentava no sofá. Estávamos na casa que seus pais tinham ali, em Los Angeles. – Só preciso achar Isa e propor para ela que seja minha madrinha.

– Vou dar uma volta. – Avisei.

– Não volte tarde. – Minha mãe alertou. Sorri e a abracei.

– Pode deixar dona Esme. Só preciso de um tempo para mim.

– Certo.

Peguei a chave de um dos carros que havíamos alugado no aeroporto e sai de lá. Dei uma volta pela cidade, deixando meus olhos atentos as pessoas que passassem pela rua, eu poderia ter sorte.

Mas não foi bem isso que aconteceu. Fiquei mais algumas horas rodando a cidade, quando estava escuro voltei para casa.

POV Bella

Entrei em meu apartamento, joguei minha bolsa no sofá e observei Anthony, que estava sentado no chão, com um livro na mão.

– O que houve?! – Indaguei.

– Eu vi um anjo… – Ele suspirou.

Renée entrou na sala rindo.

– Ele está apaixonado. – Contou.

– Ah é?! – Franzi a testa – Por quem?!

– Por Rosálie.

Sentei-me no sofá rindo. Puxei Anthony para o meu colo.

– Acho que ela é muito velha para você. – Baguncei seu cabelo.

– O tamanho da pessoa não importa o que importa é o tamanho do meu amor por ela.

Gargalhei.

– Ela vai se casar garoto!

– Ela vai, ainda a tempo de conquista-lá…

– Certo, acho que está na hora de dormir. – Tomei o livro da sua mão – Eu já disse que não é bom você ficar comendo coisas que tem muito açucar, você fica muito… estranho.

– O amor não é estranho tia, é algo tão lindooo. Quando eu vi aquela moça, meu coração disparou… – Tampei sua boca.

– Acho que alguém está passando muito tempo na frente da TV. – Levantei-me, com ele em meu colo. – Hora de dormir.

– Prefiro ficar acordado, relembrando o rosto dela…

– Anthony!

– Ta, parei.

Rimos juntos. Thony deu boa noite para Renée e fomos para seu quarto. O deitei em sua cama e o cobri.

– Durma bem pequeno… – Beijei sua bochecha – Sonhe com os anjos.

– Com a anja. – Corrigiu, fechando os olhinhos e acomodando-se melhor embaixo do edredom.

– Estou começando a ficar com ciúmes.

Ele abriu os olhos gargalhando.

– Tia, você sempre vai ser a principal… – Piscou para mim – Você sabe que eu te amo do tamanho assim… – Ficou de pé na cama e pulo, até certa altura – Um pouco mais alto que isso.

– Certo, eu também te amo, mas agora deite.

Ele me obedeceu.

A porta do quarto foi aberta, Renée passou por ela.

– Bella, seu celular está tocando… – Estendeu o aparelho para mim.

Eu o peguei, e olhei o numero; Desconhecido.

– Alô?! – Atendi.

– Isa, sou eu, Rose

– Ah Rose!

– Só queria avisar que o jantar vai ser amanhã.

– Tudo bem, pode me passar o endereço do lugar?! – Pedi.

Ela passou o nome do restaurante, eu já o conhecia.

– Nos vemos amanhã às 8h20min! – Exclamou animada.

– Sim, até amanhã.

– Beijos.

– Beijos.

Desliguei o celular.

– Quem era?! – Anthony perguntou.

– Rosálie, nos convidando para juntar-se a ela e a família de seu noivo para um jantar que será amanhã.

– Ai meu Deus! – Thony pulou da cama e correu até o seu armário. – Eu não tenho roupa! Por Barney, como vou ir ver ela com uma camiseta do Hot Wheels?!

– Relaxa. – Tentei acalmá-lo – Nós vamos ao shopping amanhã, na hora do meu almoço, e compramos uma camisa social.

– Feito.

Ele voltou para a cama.

– Agora durma. – Pedi.

– Claro, ou vou ficar com olheiras… – Ele riu – Tia Alice diz isso.

– Alice é doida. – Beijei sua testa.

Como toda noite, me deitei ao seu lado e esperei ele dormir.

Fui para meu quarto, tomei um banho e me vesti para dormir. Deitei em minha cama. Quem diria Rosálie se casar…

Suspirei.

Pelo menos outras pessoas não estavam vivendo a mesma situação que eu: Presa em um amor, que talvez nunca possa ser consumado.

***

N/A: Então?! huahauhaua, deve ter erros, ignorem!

COMENTEM OK?! *—* PRECISO SABER SE ISSO MUDOU A OPINIÃO DE VOCÊS!

Ah… eu vou inscrever a fic como “Melhor Drama” O que acham?!

Anúncios
  1. gosteei dmas. *-*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: