Capitulo 6

N/A: Oi minha gente, estou aqui trazendo mais um capitulo para vocês 😀

Espero que gostem tá, fiz com carinho – e pressa, por conta das ameças – HAHAHHA 😀

Comentem no final Ok 😀 é importante saber o que estão achando!

#—*—#

Capitulo 6 – Dani-se

– Três dias se passaram tão rápido… – Passei minha perna sobre seu corpo.

– Mas foram os melhores… – Edward sorriu, segurou minha perna e rodou para cima de mim. – Deixa eu te amar mais um pouquinho…? – Seus lábios desceram pelo meu pescoço enquanto prendi minha perna em sua cintura.

– Deixo… – Suspirei jogando a cabeça para trás deixando livre para Edward.

Uma de suas mãos prendeu as minhas sobre minha cabeça enquanto a outra descia pelo meu corpo, tocando-me intensamente, do jeito que só ele tocava.

– Eu ainda me surpreendo com você sempre tão molhadinha… – Mordeu meu seio esquerdo.

– Sempre te… esperando. – Arfei.

Perdi todos os sentidos quando seu dedo me penetrou, fazendo-me arquear as costas e gemer alto. Seu dedo movia-se deliciosamente dentro de mim, me fazendo revirar os olhos de prazer, mas aquele prazer não era nada comparado com o de ter ele dentro de mim.

– Amor… – falei com dificuldade. Edward diminuiu a intensidade de seus movimentos e me olhou – Eu quero… você, por favor.

– Tudo o que você quiser…

Edward ajoelhou-se na cama e puxou minhas pernas para sua cintura, encaixando meu corpo no seu, aquela posição permitia uma penetração mais funda e delirante.

– Céus…

Apoiei meus cotovelos na cama e passei a ajudar Edward nos movimentos, movendo meu corpo para frente, para trás e rebolando.

Edward inclinou-se para frente, tomando meus lábios em um beijo sedento. Minhas mãos escorregaram por suas costas, arranhando-a por inteira.

– Vem comigo Bella. – Edward aumentou o ritmo de suas estocadas, deixando seu membro deslizar por inteiro para dentro de mim e depois retirar novamente.

– Ahm… – Mordi os lábios sentindo minha intimidade se apertando em torno do seu membro, puxando Edward para mais perto de mim, até senti-lo explodir junto comigo, em uma sintonia perfeita.

– Eu… eu te amo… – Edward deixou seu corpo cair exausto sobre o meu, colando nossos lábios e os deixando assim, até que o sono me pegou…

[…]

– Nos vemos amanhã na escola… – Inclinei-me para beijá-lo.

– Tchau, amor.

Edward desceu do carro e eu dirigi de volta para minha casa. Minha mãe chegaria hoje e eu não queria dar a ela motivos para estragar minha felicidade.

Cheguei em casa e me joguei no sofá. Eu estava tão exausta que… dormi.

– Bella… filha, acorde.

Abri os olhos e dei de cara com Renée.

– Hã… Oi, mãe…

– Que saudades, pequena! – Abraçou-me.

– Então, como foi em Los Angeles?

– Ótimo! Tudo resolvido e pronto.

– Mas a senhora não me contou exatamente o que foi fazer lá.

– Logo você saberá, querida, logo…

O jeito que ela pronunciou a frase fez um frio percorrer minha espinha.

– Vou pra o meu quarto.

Sai de lá e subi para o andar superior. Abri a porta do meu quarto e sorri olhando aquela enorme cama e relembrando os momentos incríveis que passei ali, com o meu Edward.

Joguei-me na cama e encarei o teto. Comecei a imaginar um futuro perfeito comigo e Edward juntos, felizes, e com nosso amor cada vez mais forte, co…

Sai dos devaneios quando meu celular começou a tocar.

– Alô?- Atendi.

Oi amor…

Reconheci a voz.

– Oi amor. – Sorri apaixonadamente.

– O que estava fazendo? – Indagou.

– Pensando em você…

Edward riu de uma forma sexy.

– Que tal a gente dar um passeio? – Sugeriu.

– Aonde?

– La Push.

Olhei pela janela, o sol brilhava lá fora.

– Claro. Passo aí em alguns minutos.

– Te amo, linda.

– Eu também te amo.

Desliguei o celular e corri para o meu closet. Peguei meu biquíni preto e meus óculos de sol. Tirei minha roupa e a substitui pelo biquíni, coloquei um short curto e uma camisa regata. Peguei uma bolsa para guardar algumas coisas básicas como protetor solar, tolha e etc…

Sai do meu quarto e esbarrei em meu pai.

– Vai sair, querida?

– Vou à La Push – Sorri.

– Ok, até mais tarde… Estou indo para o serviço. – Charlie beijou minha testa.

– Bom serviço.

– Obrigada.

Desci as escadas e encontrei meus chinelos lá.

– Vai para La Push? – Virei para encarar minha mãe.

– Sim.

– Que ótimo, quem sabe você não encontra Jacob, ele é um ótimo menino e…

– De Jacob, quero é distancia! E corta essa mãe, ele um ótimo menino? Da onde? – Ri ironicamente.

– Pelo menos é alguém a sua altura.

– O que adianta ter dinheiro se não tem valores próprios? Não tem respeito e muito menos inteligência. – Suspirei, eu não queria brigar. – Olha mãe, por favor, não tente jogar Jacob para mim, eu não o quero.

Dei as costas e sai de casa. Porque alguém sempre está pronto para destruir minha felicidade?!

Entrei em meu carro e dirigi para a casa de Edward. Quando dobrei a esquina de sua rua pude ver Edward sentado no meio fio, sem camiseta. Senti meu sangue ferver, e não, não era por ele estar sem camiseta, mas sim pelo “ser” sentada ao seu lado: Victoria.

Ela sempre deu encima de Edward descaradamente e eu nunca pude fazer nada, já que se eu tomasse alguma atitude, dez minutos depois Forks inteira saberia do nosso relacionamento. Mas eu já queria jogar tudo para o ar mesmo…

Desci do carro e caminhei até eles, Edward abriu um lindo sorriso ao me ver. Vi ele se afastando de Victoria, mas ela persistia em se aproximar.

– Oi… – Murmurei.

– Bella! – Edward exclamou.

– Swan, o que faz aqui? – Victoria perguntou enquanto enganchava seu braço no de Edward.

Ódio!

– Vim buscar o meu NAMORADO.

Estendi a mão para Edward, que a pegou prontamente.

– Na… o que? Como assim? Desde quando?!

– Não devemos satisfação a você. – Finalizei. Virei-me para Edward. – Vamos?

– Sim. – Sorriu vitorioso, ele estava gostando de tudo isso.

Entrelaçamos nossos dedos e caminhamos para o carro.

– Ciumenta! – Provocou assim que entramos no carro.

– Não quero ver mulher nenhuma perto do meu namorado. – Dei de ombros.

Edward inclinou-se e beijou meu pescoço.

O caminho para La Push foi tranquilo, deixei meu carro estacionado e fomos para a praia, que estava cheia.

– Merda, esqueci que hoje teria muito movimento… – Edward fez bico.

– E o que eles têm haver?

– Bella, não vamos poder namorar…

– Claro que vamos, vem!

Puxei-o pelo braço. Fiz questão de ir para o lado mais movimentado.

– Você sabe que logo sua mãe vai saber e…

– E nada… – Me virei para ele. – Sabe, eu me cansei de todo mundo tentar monopolizar minha vida. – Enlacei seu pescoço. Olhei para os lados e algumas pessoas nos olhavam, dei de ombros e colei nossos lábios – Dane-se – Sussurrei em seus lábios. – Minha mãe um dia ia ter que saber, e eu estou cansada de ficar longe de você por causa dessas pessoas.

– Dane-se! – Edward concordou, atirando minha bolsa na areia e me segurando pela cintura. – Que tal um banho no mar, amor?

– Eu adoraria!

Edward ergueu-me pela cintura e caminhou até o mar.

– Eu sei andar. – Reclamei quando ele me pôs no chão, ou melhor, no mar.

– Eu sei que você sabe andar. – Revirou os olhos – Só queria ser romântico sabe, treinar para quando nos casarmos.

Ri.

– Vem… – Agarrei sua cintura e joguei meu corpo para trás, forçando Edward cair na água junto comigo.

[…]

Encostei-me em seu peito e deitei minha cabeça em seu ombro.

Olhei para o mar em minha frente, alaranjado pelo por do sol. Era quase 18h30min e eu estava ali, sentada entre as pernas de Edward, com minhas mãos acariciando suas coxas enquanto as suas enlaçavam minha cintura.

– Se eu pudesse ficaria assim para sempre… – Edward quebrou o silêncio.

– Eu também. – Confessei.

Virei para ele e me ajoelhei. Olhei ao nosso redor… a praia estava deserta. Empurrei Edward para trás e deixei meu corpo cair sobre o seu.

– Eu já disse que te amo? – Indaguei roçando meus lábios nos seus.

– Hum… – Edward fez cara pensativa. – Acho que… que nesses últimos 10 minutos, não. – Agarrou minha cintura com suas pernas. – Mas eu não ligo de ouvir você repetir…

Sorri colando nossos lábios em um beijo calmo.

– Eu te amo… – Sussurrei contra os seus lábios – Muito… muito e muito…

Entrelacei meus dedos em seu cabelo e os puxei, fazendo Edward gemer.

– Vamos fazer amor no mar? – Ele perguntou do nada, fazendo-me arregalar os olhos.

– Hein?! Acho que entrou areia no meu ouvido e eu não ouvi direito…

Edward revirou os olhos.

– Qual é Bella, a gente já fez na cachoeira, na sua casa, na sua piscina, na minha casa, no carro… – Tampei a boca dele.

– Você vai ficar noite inteira falando se for contar todos os lugares.

– Então, falta a praia… – Edward se sentou. Pulei de seu colo e comecei a correr.

– BELLA! – Edward gritou correndo atrás de mim. Ri. Coloquei mais velocidade, mas minha falta de coordenação não ajudou muito – como sempre -, tropecei em meu próprio pé e cai na areia.

– Gostosa, não adianta fugir, eu sei que é só manha.

Edward agachou e me pegou no colo. Espalmei minha mão em seu peito nu.

– Mas e se alguém nos vir, Edward? – Mordi meus lábios.

– Bella, essas horas ninguém vem à praia.

Coloquei meus braços em seu pescoço e me virei em seu colo, enlaçando sua cintura com minhas pernas.

– Ok, você me convenceu… – Acariciei seu peito nu, me sentindo toda molhada de tesão por ele – Céus estou virando uma ninfa.

– E eu estou adorando… – Edward parou de caminhar, foi então que percebi que já estávamos no mar.

[…]

Entrei em casa e dei de cara com minha mãe, sentada no sofá, com sua cara infeliz de sempre.

Suspirei. Ela olhou para mim, e eu sabia que ela e todos de Forks já estavam sabendo.

– Olha mãe… – Falei antes dela. – Eu não quero brigar com você, eu amo a senhora, mas não posso deixar de ser feliz só para fazer os seus gostos.

– Mas Bella, o que você acha que vai ter ao lado desse rapaz?! – Exclamou – Ele não tem nada para lhe dar, você quer o que? Casar-se com um pobre? Ter a vida miserável? Eu não quero isso para minha filha!

Coloquei minha bolsa no chão e fui me sentar ao seu lado. Coloquei uma de suas mãos entre as minhas.

– Mãe, é isso que a senhora tem que entender… – Olhei em seus olhos – Não é você que tem que querer algo, sou eu. Eu tenho que tomar minhas próprias decisões.

– Não as erradas!

– Eu sei que a senhora só quer o melhor para mim… mas Edward é tudo o que eu quero, eu me sinto tão bem quando estou com ele sabe é algo meio que engraçado, meu coração dispara, minhas mãos tremem, minhas pernas ficam bambas e eu não consigo pensar mais em nada, só nele. E não vai adiantar a senhora tentar me manter longe dele, pois nada, nem ninguém conseguira isso.

Reneé ficou olhando para mim, sem dizer nada.

– Vou subir. – Beijei sua testa. – Nada vai me fazer ficar deprimida hoje…

Fui para o meu quarto, sorrindo. Talvez Reneé perceba que nada que ela fale ou pense vai me afastar de Edward, e nos deixe viver esse amor, juntos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: