Capitulo 30

~ Hoje eu levantei e entendi que o meu sonhos estava diante de mim resolvi comemorar o desejo de mais uma vez me apaixonar talvez nao se lembre daquele dia você é o motivo da minha alegria quando nós nos olhamos pela primeira vez você me falou o que eu queria ouvir a lua retrata o que eu senti a noite mais linda que eu já vivi ~

Capitulo 30 – O pedido

Minha cabeça doia, minha garganta estava aspera e minha boca seca. Não conseguia me lembrar direito do ocorrido, só lembro-me que cai e desmaiei.

– Edward você precisa comer algo… – Era a voz de Alice, ela sussurava.

– Não Alice, desça e diga aos outros que vou ficar aqui com Bella. – Senti uma mão se entrelaçando a minha, aquele famoso choque percorreu os nervos de minha mão, eu sabia quem era, sim era Edward.

– Fica tranquilo, papai disse que ela está bem, só está cansada.

– Obrigada Alice.

– É… você tem muito que me agradecer, senão fosse por mim, Robert e Kristen passaria vocês dois para tras e fugiriam… Diz ai, quem é a melhor irmã do mundo?

– Quando Esme engravidar eu te aviso…

– Ingrato!

– Convencida!

Eu ri, chamando a atenção deles.

– Ela riu? – Edward perguntou.

– Acho que ela gruniu, ou pode ter rido, a risada dela sempre foi estranha… – Era a voz de… Caah.

– Caah o que estavá fazendo embaixo da cama?

– Queria ter a sorde de pegar Ed e Bells na hora H. – Abri meus olhos e a vi balançando uma camera no ar. – Ia bombar mais que Rebolation, trailer final do Eclipse, Flagra de Robsten…

– Hein?!

– Esquece… – Deu de ombros.

Alice olhou para mim e sorriu

– Caah acho que ouvi minha mãe nos chamando.

– Então você está ouvindo demais.

– CAAH, VEM LOGO!

– Mas eu quer…

– Mas nada, vem… – Saiu puxando caah pelo braço e piscou para mim.

– Você está bem? – A mão de Edward acariciou meu rosto, fechei os olhos apreciando o toque quente de seus dedos.

– Sim… – Murmurei. – Só estou um pouco… cansada.

Edward se sentou na beira da cama.

– Você quer algo? Está com fome?Sede? O que posso fazer por você? – Perguntou desesperado. Levantei meu rosto para olha-ló e sorri.

– Na verdade tem…

– Pode dizer, eu faço qualquer coisa!

– Deita aqui comigo… – Segurei a gola de sua camisa polo e o puxei.

– Só deitar? – Fez bico, eu ri.

Edward se deitou ao meu lado, me aconcheguei em seus braços. As, como eu sentia falta daquele calor, daquele cheiro, daquele corpo…

– Eu te amo Bells… – Sussurrou enquanto beijava minha cabeça.

– Eu também… – Colei nossas testas. -… muito, muito… – Ele abriu aquele sorriu pelo qual me apaixonei na primeira vez que vi.

Sua mão me puxou pela nuca em direção aos seus lábios, foi um frenezi quando nossos lábios começaram a mover-se um contra o outro, sua lingua explorava cada parte da minha boca. Era maravilhoso te-lo ali, tão proximo de mim. Passei minha perna sobre as suas, me aproximando mais, excluindo todo espaço existente entre nós.

– Céus! Que saudades… – Suas mãos apertaram minha cintura, ato que me fez jogar a cabeça para tras e gemer. Edward riu em meu pescoço.

– Me desculpa… – Falei envergonhada. Edward segurou meu queixo e sorriu.

– Não precisa se desculpar meu amor. Eu estavam com tanta saudades desse som… – Me puxou para seus braços novamente.

– Eu preciso dar uma saida, você se importa?

– Claro que não, quem já esperou quatro anos pode alguentar algumas horas. – Falei abraçando-o mais ainda, me contradissendo. Era óbvio que eu não queria que ele fosse.

– Vou falar para alguém trazer algo para você comer e beber.

– Edward não precisa eu posso descer e…

– Shh! – Tampoi minha boca com um selinho. – Você precisa se alimentar… – Sua mão desceu até minha barriga. – E alimentar nosso bebê.

Eu sorri. O modo que ele falou “nosso bebê” me deu vontade de chorar.

– Tudo bem… Mas me da mais um beijo antes. – Agarrei ele pelos cabelos e o beijei avidamente, não sei quanto tempo ficamos nos beijando mas quando nos separamos estavamos ofegantes.

– Mulher desse geito você me mata asfixiado. – Edward brincou.

– Não morra, não quero que meu filho cresça sem o pai…
Ele riu

– Estou indo então. – Me deu um beijo rapido. – Eu já volto.

Ele se levantou e antes de sair do quarto me mandou um beijo. Eu estava super feliz, até quem enfim tudo se resolveu.
PDV Edward

Desci as escadas com um sorriso bobo no rosto, cheguei na sala e todos estavam ali, menos Tom e Marianne que foram levar Robert e Kristen.

– Filho como está Bella?

– Ela está bem mãe, eu só queria que arrumasse algo para ela comer, eu mesmo faria isso, mas preciso sair.

– Vai aonde maninho? – Alice saltitou até mim.

– Vou fazer algo que já devia ter feito a tempos.

– E você, por um acaso assim… só por um acaso, podia contar pra gente?

– Não Caah, logo vocês saberam! – Sorri. Peguei minhas cheves do carro e sai.

Eu já tinha tomado minha decisão e não ia desistir dela Tão cedo, aliás, ia por em pratica essa decisão agora mesmo.

PDV Bella

-… e foi isso! – Caah jogou os braços para o ar enquanto finalizava a história do que aconteceu depois que eu apaguei.

– Sério que você virou dois mortal no ar? – Perguntei desconfiada.

– Não… mas eu sempre quis aprender… – Deu de ombros, eu ri.

Procuraria outra pessoa para me contar o que aconteceu já que na “historia de caah” só ela aparecia e prendia Robert e Kristen. Era algo Surreal…

Continuei a comer o pedaço de torta que ela me trouxe, dei um gole em meu copo de coca e deixei ao meu lado

– Bella aqui tá um tédio… – Fez uma careta enquanto pegava meu copo e bebia o MEU refrigerante. – Vamos descer para a sala?

– Vamos…

Me levantei da cama, quando fui abrir a porta, ela foi aberta.

– Aonde pensa que vai? – Edward me agarrou pela cintura, forçando-me a voltar para perto da cama.

– A gente ia descer um pouquinho… – Caah deu de ombros – Isso aqui está um tédio.

– Pode descer Caah, preciso conversar com Bella.

– Eu posso… – Se jogou na cama, colocando os braços embaixo da cabeça -… esperar!

– Nem pensar sua lumbriga andante… – Vi a boca de caah se abrir e seu beiço inferior tremer. – Preciso conversar com Bella “A SÓS”

– Tudo bem, tudo bem… – se levantou da cama – Eu sei quando não sou bem vinda, seu… seu… – Ri da sua antiga mania, eu sabia o que vinha a seguir. -… GAY!

Gargalhei. Caah saiu correndo do quarto quando Edward fez mensão de segui-lá. Daqui eu podia ouvir ela cantarolando “ELE É GAY, ELE É GAY QUE EU SEI… EDGAYZINHO”

– CAAH VO TE AFOGAR NA PRIVADA! – Gritou, e a musica cessou. Eu ri mais ainda. – Bella, não ri. – Fez bico – Acha mesmo que eu sou Gay?

– Não… – Prendi uma risada. – O que queria falar comigo? – Tentei mudar de assunto.

– Vem aqui – Se sentou na cama e me puxou para o seu colo. – Eu estava pensando… nós dois já ficamos separados por muito tempo né? – Eu assenti, aonde ele queria chegar? -… e nesse tempo todo nunca deixamos de nos amar, certo?

– Nem um segundo. – Afirmei. Edward Sorriu, me tirou de seu colo e colocou-me na cama. Eu ofeguei.

OMG, ELE ESTÁ SE AJOELHANDO!ELE ESTÁ SE AJOELHANDO! EU SEI O QUE ISSO SIGNIFICA! OMG!

– Agora que nosso amor está mais fortalecido… – Acariciou minha barriga. – Eu sei que é a hora certa, e é isso o que eu quero, mas… – Colocou a mão no bolso e tirou uma pequena caixinha de veludo -… e você? Quer casar comigo? – Abriu a pequena caixa exibindo a linda aliança. – Tentei achar algo lindo como você, mas é impossivel, nada se compara com você, você ofusca tudo ao seu redor.

Eu estava petrificada, eu sabia o que eu queria mas não conseguia falar nada, ás lagrimas começaram a descer.

– Você não quer? – Perguntou triste. Me joguei em seus braços, fazendo nós dois cairmos no chão.

– Eu… eu… não sei o que responder… – murmurei em seu ouvido.

– Que tal… sim?

– Sim, sim, sim… – Beijei todo seu rosto, ele riu.

Edward pegou minha mão e colocou a aliança, logo depois depositou um beijo sobre ela. Ele nos girou no chão, parando sobre mim.

– Eu te amo Bella, você está me fazendo o homem mais feliz do mundo.

– AH! EU QUERO SER MADRINHA! – Olhei para a porta e vi caah, com uma camera na mão. – Agora vocês tirem a roupa um do outro e fazem sexo selvagem. VAI BOMBAR VAI BOMBAR!

– Lumbriga, vou te matar. – Edward me ajudou a levantar e saiu me arrastando para fora do quarto, enquanto perseguia caah.

– Eles vão casar, eles vão casar, eles vão casar… – Desceu á escada cantarolando.

– Quem? – Jacob indagou. Estavam todos ali sentados na sala, maah e tom também só que um distante do outro… HUMPF! Se eu fosse ela, arrastaria aquele Deus para um quarto e… Ok, Bella hora de parar, você vai se casar!Comporte-se.

– Bella e Edward! – Berrou jogando as mãos para o ar. – Eu tenho TUDO Registrado aqui, nem sabia que Edward era romantico… – gargalhou. – Tentei achar algo lindo como você, mas é impossivel, nada se compara com você, você ofusca tudo ao seu redor. – Imitou a voz de homem.

– AAH! QUE TUDO! – Alice começou a quicar.

Todos nos abraçaram, dando os parabens.

– Acho que está na hora da gente da um passo a frente Rosalie. – Emmett comentou jogando os braços ao redor de Rosalie. – Nós que somos casados não temos filhos, Bella que ainda vai se casar já está gravida, até caah já ficou prenha… – Fez bico. – Eu também quero.

– OMG, PRIMA PARABENS! – Maah correu até caah e a suspendeu no ar. – E eu com medo que você fosse deportada.

Silêncio.

Silêncio.

Silêncio.

– Eu não estou grávida! – Caah empurrou Marianne. – Porque você não consegue manter essa porra de boca fechada? – Saiu correndo pela porta da frente.

– Ela não contou? – Marianne crusou os braços no peito e suspirou. – Merda! Pisei na bola.

– Ela vai ser o que? – Jake se levantou do sofá.

– Deportada… – Maah colocou a mão nas palpebras. – Ela tinha visto pra ficar nos EUA enquanto estudasse e trabalha-se, mas ela já está aqui a 5 anos, é o máximo de tempo permitido. [N/A: Nem sei se é isso mesmo… Mas finja que existe ta? Vamos ser imaginativas…]

– Mas porque ela não me contou? – Jacob se sentou novamente com ás mãos na cabeça.

– Talvez medo, insegurança… – Sussurrei.

– Se ela estivesse mesmo grávida e se casasse… ai sim ela poderia ficar aqui.Jacob saiu pela porta, atras de caah.

Depois disso o clima ficou tenso. Conversamos um pouco, mas estavamos preocupados com Caah. Maah saiu da sala e voltou com um copo.

– Eai, alguém quer arroz doce?

– Eu! – Todos levantaram a mão, menos eu, que estava usando elas para tampar minha boca.

Corri para o banheiro mais próximo.

– Bella, amor, o que ouve? – Olhei para tras e todos estavam me assistindo vomitar.

– Ahh Bellinha, nosso arroz doce tinha ficado bom, sem drama!

– Alice, vocês mataram um pombo com aquilo! – Falei lavando a boca.

– Hein? – Todos indagaram confusos. Revirei os olhos e me apoiei na pia.

– Eu estava com desejo de comer arroz doce, caah e Alice se ofertaram para fazer eu aceitei, resumindo, estava horrivel! – Bufei.

– Mal agradecida… – Alice fez bico. – Nós sós queriamos ajudar.

– Desculpa Aliie…

– Bella a culpa não é sua… – Carlisle sorriu. – São os hormonios. – Todos riram.

– Vem amor. – Edward me guiou para a sala.

– Com quantos meses você está Bella?

– Não sei Esme, os exames saem amanhã. – Dei de ombros. – Mas pelos meus calculos são quase dois meses.

– Porra Edward, tu vai ter trabalho em dobro… – Emm gargalhou.

– Gêmeos? – Edward arregalou os olhos para mim.

– Não… sei – Ri. – Emmett está falando de outra coisa.

– Ele está falando de Meg. Bella vai adotá-lá! – Alice jogou os braços pro ar.

– Precisamos conversar sobre isso depois…

– Não Bella, não a sobre o que conversar, Margareth não merece ficar com aquela senhora que só a maltrata.

Sorri para ele.

– Fiquem calmo, o gostosão aqui vai te ajudar. – Emmett abriu um sorriso.

– Está ficando tarde, vou embora… – Me levantei do sofá, Edward levantou-se comigo.

– Eu também vou. – Segurou minha mão.

– Alice, qualquer noticia sobre a caah, ligue para mim.

– Pode deixar Bells.

Saimos da casa de Esme, eu no meu carro e Edward no dele. Eu cheguei primeiro no estacionamento. Tranquei meu carro e me encostei nele, esperando Edward.

Vi o volvo prata entrar no estacionamento e parar ao lado do meu carro.

– Você é doida? – Perguntou enquanto saia do carro. – Você está grávida, não pode andar por ai assim tão rapido, é perigoso!
Eu ri.

– Vem, vamos subir…

PDV Edward

Me ajeitei no sofá de Bella e a aconcheguei melhor sobre mim. Na verdade eu queria leva-lá para o quarto, arrancar sua roupa e ama-lá até o dia amanhecer, mas era injusto eu fazer isso, ela esta tão cansada. Me senti um idiota por ter pensamentos pervos com Bella, já que ela me beijava avidamente, sem malicia.
PDV Bella

PARE! PARE! PARE! PARE! Gritei mentalmente.

Edward havia estava comigo em meu apartamento, mais especificamente no meu sofá, debaixo de mim.

Eu estava me sentindo mal pelos pensamentos que estava tendo. Eu queria que ele me levasse para o quarto e me amasse, mas ele estava visivelmente cansado.

Mas… Eu precisava dele, estava com tanta saudades do seu corpo colado ao meu.

Beijei seu pescoço, subi para sua orelha, depois trilhei beijos pelo seu maxilar até sua boca.

– Amor vamos para o quarto? – Perguntei.

– Bells já está com sono? – Fez bico. Bufei

Deitei minha cabeça em seu ombro para pensar em um geito de dizer o que queria

– Eu não estou com sono… – sussurrei em seu ouvido -… eu estava pensando em outra coisa

– É? – Indagou.

– Você está cansado né?

– Depende Bells, cansado pra que?

– Para me amar, me fazer sua… – senti seu corpo estremecer -… estou com tanta saudades.

Suas mãos apertaram minhas coxas. Ele foi se levantando até que nós dois ficamos sentados um de frente para o outro.

– Não, eu não estou cansado.

Colou nossos lábios pedindo passagem com sua lingua, eu cedi. Nosso beijo era calmo, avido, sem pressa para acabar. Suas mãos levantaram minha blusa e a arremeçaram para longe, o beijo que era calmo começou ficar voraz a cada segundo que nos acariciavamos. Apressei-me em abrir os botões de sua polo e a joguei no chão, descolei nossos lábios e olhei para o seu peito nú, um gemido escapou dos meus lábios, ele estava tão perfeito – como sempre.

Passei minha perna por sua cintura, aproveitando a aproximidade para beijar seu torax. Edward me segurou pela cintura e nos levantou.

– Vamos para o quarto, não aguento mais ficar longe de você. – Sussurrou olhando em meus olhos.

Agarrei seu pescoço e o beijei. Enquanto Edward caminhava tateou minhas costas em busca do feicho do meu sutiã, e quando encontrou, abriu. Senti minhas costas no colchão enquanto Edward se deitava sobre mim.
PDV Edward

Aqui estou eu, com a mulher de minha vida em meus braços, me beijando loucamente, ela necessitava de mim tanto quanto eu dela. A coloquei na cama, deixando meu peso cair sobre o seu, desci minha mão pela lateral de seu corpo até sua coxa e a puxei prendendo-a em meu quadril. Bella abriu o botão de minha calça retirei ela rapidamente e a joguei em algum canto. Suas pequenas mãos alisavam meu corpo enquanto eu retirava sua calça. Arfei com a Bella visão de sua Lingieri branca. Desci beijando seu corpo, seios, barriga e por ultimo sua coxa.

– Edward… anda logo… com isso. – Pediu irritada.

– Calma amor, deixe-me aprecia-lá, estou com tanta saudades… – Abri suas pernas e retirei sua calcinha.

Bella se contorcia em busca de mais contato, e eu daria, daria tudo para aquela mulher. Ela estava bem lubrificada, passei minha língua em sua intimidade e Bella agarrou meus cabelos.

– OMG… você quer me… matar? – Gemeu.

– De prazer amor…

Introduzi minha lingua em sua entrada e comecei a massagear seu clitoris. Bella gemia loucamente, pedindo por mais, mas isso eu daria só depois de sentir seu mel em minha boca, e isso não demorou muito, senti suas pernas tremerem e seu liquido jorrar em minha boca. Subi beijando cada parte de seu perfeito corpo, e teria ficado ali, mas Bella impaciente, me puxou pelos cabelos.

– Eu juro que vou te matar se não andar logo com isso.

– Amor você está violenta…

– Anda Edward… – Agarrou meus ombros. – Eu preciso te sentir dentro de mim… preencher o vazio que ficou sem você.

Eu não disse mais nada, a unica coisa que fiz foi penetra-lá lentamente.

– Edward… – Bella gemeu, arqueando o quadril, querendo mais.

Comecei a me movimentar sobre ela, seu cheiro, seus gemidos, tudo, tudo nela me embreagava, eu não poderia mais viver longe dela, Bella se tornou minha droga deis de a nossa primeira noite e nada nem nínguem conseguirá nós separar.Suas unhas arranhavam meus ombros me fazendo gemer de dor e prazer. Eu tinha a cena mais linda do mundo em minha frente. Bella com os olhos fixos nos meus, sua boca entreaberta, sussurrando meu nome entre gemidos roucos.
Senti meu membro pulsar dentro dela, eu estava chegando ao meu extremo, assim como ela. Comecei a estocar mais rápido e mais fundo fazendo nosso prazer aumentar, na ultima estocada, eu explodi com Bella me apertando dentro de si.  Deixei meu corpo amolecer sobre o seu, Bella me abraçou.

– Eu… te amo. – Confessei entre arfadas. Bella puxou meu rosto e me beijou.

– Eu também.

Sai de dentro dela e me sentei ao seu lado. Pousei minha cabeça em sua barriga e sorri.

– Eu vou ser pai! – Sussurrei para mim mesmo.

– Sim… – Bella sorriu acarriciando meus cabelos.

– Eu já te amo. – Acariciei sua barriga e depositei um beijo. O corpo de Bella começou a tremer, olhei para cima e a vi chorando.

– Porque está chorando? – Deitei ao seu lado e a puxei para meu peito.

– Hormonios… – Sussurrou. Eu ri, apertei ela em meus braços, querendo nunca mais solta-lá. Bella me beijou. – Você não vai dormir agora né? – Indagou.

– Porque?

– Estou com desejo… – Mordeu os lábios.

– Essas horas amor? Tudo deve estar fechado… mas desejo do que? – Fiz careta

– Você… – Respondeu com a voz sexy. Sentiu sua mão deslizar pelo meu corpo e pegar meu membro.

– OMG! Hoje eu morro…

PDV Maah [/Especial para Beta!]

– Amor você morreu ai?

– Já estou indo Tom, espera um pouquinho amor.

Terminei de passar o hidratante no corpo e me olhei no espelho, eu estava… SEXY, eu queria fechar a noite com chave de ouro já que Tom e eu nos reconciliamos. Coloquei meu Hobby vermelho e sai do banheiro. Tom estava sentado na cama, de costas para mim, sem camiseta.

– Nossa amor você demor… – Virou-se para me olhar e seu queixo caiu – O.M.G!

Eu ri, desfiz o nó do hobby e deixei deslizar até o chão. Tom me puxou pela cintura e sentou-me em seu colo.

– Isso tudo é para mim? – Perguntou com um sorriso malicioso.

– Não… – Revirei os olhos – Para o Harry…

– Heim?

– Nada amor, nada.

Tom me jogou na cama e subiu sobre mim, me beijando deliciosamente, deixando rastro de fogo por onde seus lábios passavam.
Depois de alguns minutos, inverti rapidamente a posição que estávamos com um sorriso malicioso no rosto.

– Agora é minha vez de torturar você!- Eu disse começando a fazer meu “Trabalho”. Seu membro que não era nada pequeno, estava bem rígido, tirei sua boxe e como a caah diz… “CAI DE BOCA”.
Fiquei torturando Tom até perceber que ele estava chegando ao seu máximo, então parei com os movimentos, tirei minha boca de seu membro e o encarei.

– Porra Annie…

– Annie é a boazinha amor, agora me chame de Maah… – Beijei seus lábios.

– Maah de… má?

– Muito… muito má.

Tom me jogou para o lado e subiu sobre mim.

– Desculpa “maah”, mas não consigo segurar mais meu desejo por… – se aproximou do meu ouvido e mordeu meu lobulo -… você.

Gemi com sua voz causando arrepios em mim. Passei minha perna por sua cintura.

– Eu também não…

Tom se posicionou sobre mim e deixou seu peso cair sobre o meu.

– Tom… – Gemi sentindo seu membro me penetrar, fechei os olhos e mordi os lábios, apreciando aquela sensação intensa.

– Annie, abra os olhos… – Ele pediu. Prontamente os abri, encontrando os dele em mim. – Eu já disse que gosto de ama-lá olhando em seus olhos.

Acenti. Desci minhas mãos por suas costas, arranhando-a, cheguei ao seu quadril e o puxei contra mim, fazendo tom entrar lentamente dentro de mim.

– Por favor… – Pedi. Tom me beijou e começou a se movimentar sobre mim.Era uma sensação indescritivel, ter o meu homem, me amando. Era tudo tão intenso, deis de beijos á toques. As mãos de Tom percorriam todo o meu corpo, enquanto eu arranhava suas costas pedindo por mais.

– Eu te amo… Annie… – Colou seus lábios aos meus. Senti minhas pernas tremeram e minha intimidade se contrair ao redor de seu membro, o liquido de tom jorrou dentro de mim.

– Eu… também te… amo. – Falei ofegante, abraçando-o contra meu peito.
PDV Jacob

Fiquei procurando caah, mas não achei ela em nenhum dos locais onde costumávamos ficar juntos. Cansado, voltei para o nosso apartamento e me surpreendi ao ve-ló encolhida no sofá.

– Meu amor… – A peguei em meus braços e a levei para nosso quarto, colocando-a sobre nossa cama. – Eu prometo que tudo vai ficar bem… – Sorri – Você é, sempre foi, e sempre será minha…[N/A: Só em fic mesmo pra ele me pegar”/ Então… porque não aproveitar?]

 

  1. Vc tem razão Maah tem q aproveitar kkkk. To amando a fics.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: