Capitulo 33

Capítulo 33 – Aposta perdida… Morte Prevista


– Abre você… – Joguei o exame para Edward. – Se eu não estiver grávida…

– Claro que está. – Edward me puxou para se sentar em seu colo. – Seus seios estão… – mordeu os lábios -… Maiores, seu humor está oscilando, está com desejos e…

– Abre logo essa porra!

– Viu… – Gargalhou. Edward voltou sua atenção para o exame e o abriu. Ele ficou olhando para o papel sem dizer nada, e aquilo estava me deixando louca.

– Diz Ed. – Eu já disse quase explodindo de ansiedade

– Bells… EU VOU SER PAI!- Gritou ele.

– OMG! OMG! OMG!

– Calma, Bells, não pira. Desci do seu colo, tomei o exame de suas mãos e comecei a quicar pela sala.

– Bella… – Edward me agarrou por trás, levantando-me no ar. – Quer fazer um mexidinho com nossa menininha?- Perguntou ele risonho.

– Não, eu não quero fazer um mexidinho com o nosso MENININHO. – O corrigi

– Não vou discutir com você… – riu apertando minha cintura. – Vamos comemorar. – Disse ele indo pegar a chave do carro na cabeceira da cama

– Eu não posso beber álcool!- Eu disse prontamente, mas tristonha.

– Ok, eu bebo e você olha. – Disse ele com um sorriso traiçoeiro.

– Eu estava pensando… – Me soltei de seus braços e virei-me, ficando de frente para ele. – Em outro tipo de comemoração… – Passei meus braços por seu pescoço. – Afinal, logo isso ficará difícil de ser feito… – Fiquei na posta dos pés e colei nossos lábios. – Então… – Mais um selinho – Vamos aproveitar que ainda posso fazer… Acrobacias. – Edward gargalhou.

– Eu acho… – Me deu um selinho -… Que você precisa descansar um pouco… Como você mesma tinha dito, eu não deixei você dormir. – Sim, eu estava cansada, mas…

– Ah nãoooo… – Choraminguei.

– Vem cá. – Me pegou no colo, enlaçando sua cintura com minhas pernas. – Deixe-me agradar minha futura mulher… – Mordeu minha bochecha. Eu ri. Edward me sentou na cama, pegou a barra do meu vestido e a tirou. – Deite-se de bruço. – Obedeci prontamente.

– O que você vai fazer?- Perguntei já me animando.

– Massagem… – A voz de Edward estava distante.

– O que está fazendo?- Suspirei derrotada e desiludida

– Aonde tem hidratante?- Ele apareceu na porta

– No banheiro, sobre a patreleira… – Deixei meu corpo relaxar, passei meus braços embaixo do travesseiro e me aconcheguei nele. Senti um arrepio quando um liquido gelado entrou em contato com minha pele.

– Hmm… – Gemi. As mãos de Edward começaram a correr pelas minhas costas, massageando todos os pontos tensos. – Amor isso é… Bom – Sussurrei fechando os olhos – Que bom que vou me casar com você… Pelo menos quando você não funcionar mais, vai servir para algo. – Gargalhei.

– Bella não abuse da minha caridade… – Senti o feixe do meu sutiã sendo aberto, e a peça sendo retirada. Ás mãos de Edward desceram até minha panturrilha e subiram massageando minhas coxas. Logo suas mãos fora substituídas por seus lábios, que trilhavam beijos por toda extensão das minhas costas, descendo para minha bunda, coxa, panturrilha e pés, onde Edward passou a massagear por um tempo.

– Vem aqui amor… – Me virei e o chamei. Edward apoiou os braços e joelhos no colchão, parando sobre mim. Estiquei meu pescoço para colar nossos lábios.

– Gostou da massagem?- Perguntou ele, me dando um lindo e típico sorriso torto

– Amei… – Puxei a barra de sua camiseta, tirando-a. Apoiei minhas mãos em seu peito e o empurrei para o lado. Deitei-me sobre seu corpo e fiquei admirando-o. – Você é tão lindo… – Acariciei a linha do seu maxilar.

– Obrigada Carnívora. – Disse ele rindo.

– Ah Ed! – Soquei seu braço, afundei minha cabeça em seu pescoço e o mordi.

– Eu te amo… – Girou comigo pela cama.

– Eu te amo mais, muito mais. – Edward voltou a me beijar, alguns segundos depois ele descolou nossos lábios e me encarou.

– Me lembrei de uma coisa… – Arqueou uma sobrancelha. – Vai me contar sobre o suco de carambola?

PDV Caah

– HAHÁ, NA SUA CARA! – Gritei para Maah.

– Ela roubou! – Choramingou – É impossível ela ter ganhado, ela aprendeu a jogar agora!

– Não roubei não! – Meg cruzou os braços. – Eu ganhei, cortei sua carta e levei a melhor. HAHÁ!

– A Bella vai pirar quando souber que a gente ensinou Meg jogar truco… – Disse Emmett cautesolo

– Fica tranqüilo Emm, Bella é burra, nem vai notar. – Eu ri

– Maah, agora é sua vez de dar… – Comecei a falar

– HEIM? NÃO, NÃO E NÃO, EU NÃO FAÇO MAIS ISSO! AGORA É SÓ PRO TOM!- Revirei os olhos.

– É sua vez de dar as cartas sua burra!É loira mesmo!- Resmunguei

– Ata… Olha só quem fala, até parece que também não é loira- Disse ela me olhando feio. Olhei minhas cartas… Se eu fizesse a 1º ia ser mais fácil. Sorri maliciosamente e joguei dois de paus, cortando a sua.

– Merda! – Maah resmungou jogando uma carta inferior a minha.

– A primeira é nossa! – Meg gritou enquanto dava uma golada em seu café.

– Meg, jogue sua menor carta…

Ela jogou um três de espada.

*Emm Cerrou os olhos, o clima estava tenso, seus dedos tamborilavam na mesa ele coçou a cabeça e jogou três de paus.

– Por enquanto é nós! – Maah bateu na mão dele.

– Minhoca não tem osso, abacaxi não tem caroço, TRUCO MOÇO! – Berrei para Maah. Ela deu uma olhada para Emm que se mexeu para o lado esquerdo.

– SEIS!- Berrou ela.

– NOVE!- Retruquei

– DOZE! – Berrou. Joguei um sete de espada. – Outra priminha! – Joguei minha dama de Paus. Vi seus olhos se arregalarem.

– PORRA EMMETT, VOCÊ DEU SINAL QUE ELA ESTAVA BLEFANDO! – Jogou as cartas na mesa.

– NÃO NÃO, EU SÓ ESTAVA SOLTANDO UM PUM!- Disse ele envergonhado.

– YAY! – Eu e Meg pulamos da cadeira. – PAGA MICO! PAGA MICO! PAGA MICO!

PDV Edward

– Não acredito que você fez tudo aquilo só para não me contar que queria comer pão no café. – Gargalhei, Bella fez bico.

– Por isso eu não te contei… – Socou meu ombro. – Pare de rir.

– Parei. – Bella apoiou o queixo em meu peito e ficou me encarando enquanto acariciava meus braços.  Era estranho ve-la tão… Quieta, algo ela queria dizer.

– Diga Bells… – Incentivei.

– Nós vamos ter uma lua de mel? – Mordeu os lábios. Agarrei-a com minhas pernas e inverti nossas posições.

– É claro que vamos ter uma bem especial, com tudo o que você tem direito. – Eu disse sorrindo carinhosamente para ela.

– Pode ser no litoral? Um lugar com uma linda praia e. – Disse ela se empolgando.

– Praia para que… – Cortei a onda.

– Pra gente nadar ora. – Disse ela como se fosse obvio. Estremeci.

– Vou te contar um segredo, ninguém sabe você será a única… – Mordi seus lábios – Eu… Eu não sei nadar. – Ela ficou me olhando e de repente começou a gargalhar.

– Não ria… – Tampei sua boca. – Eu vou te levar para passar nossa lua de mel na roça se você continuar rindo – Ameacei. Bella me olhou com um olhar malicioso e mordeu minha mão.

– Eu não quero fazer amor no meio do mato – Disse ela fazendo bico.

– Então para – Eu disse emburrado.

– Tá parei. – Mordeu minha boca. – Mas pensando bem nunca fiz amor no ma… – Tampei sua boca de novo

– Bella a nossa lua de mel sou eu quem vai programar como também nossa casa, sou eu quem vai comprar. – Bella me puxou pela nuca, tirei minha mão de sua boca e a beijei. Ela sugou minha língua e arranhou minhas costas.

– Agora podemos fazer amor?- Perguntou enquanto suas mãos apertavam minha bunda, já que eu estava só de Boxe e ela de lingerie. – Quanta carne – Me apalpou. Eu ri. Não respondi sua pergunta, desci beijando seu corpo e deitei minha cabeça em sua barriga.

– Oi menina linda…

– Edward! – Bella riu – Já que não sabemos o sexo do nosso amor, use palavras unissex, tipo Bebê, anjo, amor… Não quero que meu menino nasça pensando que é uma menina.

– Sua mãe é tão chata… – Continuei conversando com sua barriga.

– Nós somos os opostos de todos os pais né? – Bella murmurou. – Todo homem quer ter um filho homem

– E toda mulher quer uma menina. – Beijei sua barriga. – Imagina que incrível vai ser minha vida, acordar de manhã ter a mulher da minha vida ao meu lado, e duas crianças perfeitas. – Ficamos em silêncio por alguns minutos, as mãos de Bella acariciavam o meu cabelo enquanto eu a observava.

– São quase 17h30min e Caah não trouxe Margareth – Disse ela olhando no relógio.

– Fica calma amor, Caah é louca, mas não é doida. – Ela me olhou com uma sobrancelha arqueada, quando ia dizer algo à porta do quarto se abriu.

– CHEGAMOS!

– AAAHH! – Bella gritou nos cobrindo com um lençol. – QUE PORRA É ESSA? COMO ENTRAM ASSIM NO MEU QUARTO? E O QUE É ISSO AI? – Apontou para duas pessoas vestidas de Barney

– Eita, porque eu não trouxe minha câmera… – Caah balançou a cabeça. – Esses são… Barmmett e Barriannie – Ela se virou para os dois. – Digam a frase…

– Amo você… – Murmuraram juntos

– Agora cantem… – Disse Caah provocante.

– EU NÃO VOU CANTAR PORRA NENHUMA! – Maah berrou

– Vamos Maah é massa. – Emmett começou a pular para um lado e para o outro. – Barney é um dinossauro da nossa imaginação e quando ele é alto ele é o que nós chamamos de um dinossauro sensação.

Eu e Bella estávamos rindo, Bells se inclinou e tirou uma pequena câmera da gaveta. Caah deu um tapa na cabeça de Maah que começou a cantar e dançar.

– Amigos de Barney são grandes e pequenos eles são de um monte de lugares depois da escola eles se encontram para brincar e cantar felizes – Rodopiaram e rebolaram, Caah se colocou ao lado deles e começou a dançar e cantar também.

– Barney nos mostra um monte de coisas como brincar de fingir alfabeto e um-dois-três e como ser um amigo. – Eu estava sem fôlego, me levantei da cama – de boxe mesmo – e me juntei a eles. Eu amo Barney

– Barney vem para brincar conosco qualquer lugar que você possa precisar dele Barney pode ser seu amigo também se você apenas acreditar nele.  – Parei ofegante, rimos da nossa infantilidade. Bella se contorcia na cama de tanto rir.

– Vou mostrar isso para os seus filhos… – Balançou a câmera no ar.

– Nossa que suruba é essa? – Dei um pulo quando ouvi a voz de Margareth atrás de mim.

– Aonde você aprendeu isso?! – Bella perguntou para Margareth, mas olhava para Emmett, Camila e Mariannie.

– Ah… – Deu de ombros. – Barmmett estava falando que a mulher do restaurante escreveu no papelzinho pedindo suruba com vocês dois – Apontou para Bella e para mim. – Só que ele não sabia que eu estava lá, então eu perguntei o que era suruba, ele disse que era um monte de pessoas no mesmo cômodo.

– Vou te matar seu mongol!- Eu disse olhando mortalmente para meu cunhado.

– O que é mongol?- Perguntou Meg

– É… O Emmett – Maah gargalhou da sua própria piada. Caminhei até o pequeno sofá e peguei minha calça.

– Nossa agora que eu vi que Edward está só de cueca – Maah riu – O Tom é bem melhor, ele é mais… Volumoso

– Tá precisando malhar Edzinho! – Caah zombou mostrando o dedo mindinho.

– Hei vocês todos, fora daqui! – Bella se levantou enrolada no lençol.

– Bella porque você e Edward estão sem roupa?- Perguntou Meg novamente

– Vem Meg, ela não vai te responder… – Emmett a puxou pela mão.

– Nem vocês vão responder! – Bells caminhou até a porta, todos saíram e ela a fechou, se se encostou à posta e me olhou. – Não sei da onde elas viram que você precisa malhar… – Mordeu os lábios e desceu seu olhar para o meio das minhas pernas. – E você é super… Volumoso. – Riu – Mas se você já é assim… Fico imaginando o Tom!- Disse ela num sussurro, mais pra ela.

– BELLA!- Gritei olhando feio pra ela.

– Brincadeirinha amor! – Disse ela me dando um sorrisinho amarelo. Suspirei, e fui em sua direção, e a beijei.

– Se troca amor, te espero na sala… – Sai do quarto e ri quando vi duas pessoas e dois dinossauros parados feito estatua.

– Estão brincando de Estatua? – Sorri maliciosamente. Eles continuaram parados. Dei um teco na orelha de Caah, que gemeu com a dor.

– Meg você foi à sua vó? – Me sentei no sofá, a tirei da posição de estatua e a sentei no meu colo.

– Ela estava no banheiro, eu gritei que cheguei e corri para cá…

– É melhor você avisa – lá direito, senão ela vai pensar que te seqüestramos.

– Ok… – Revirou os olhos, pulou do meu colo e correu para a porta.

PDV Bella

– Cadê Margareth? – Indaguei me sentando no sofá, ao lado de Edward.

– Foi avisar a vó que já chegou e esta aqui conosco. – Respondeu Ed.

– E o que esses três estão fazendo? – Apontei para os dois dinossauros roxos e para Caah.

– Brincando de estatua. – Eu ri, aqueles dois eram pior que crianças.

– BEWARD! B-BEWARD! – Margareth passou pela porta gritando, com os olhos cheio de lágrimas.

– Meg o que aconteceu?

– M-MINHA VÓ! V-VEM VO-VOCÊ TEM QUE A-AJUDAR ELA! – Edward e eu nos levantamos, Margareth pegou nossa mão e correu para fora.

PDV Edward

Entramos no apartamento de Margareth e encontramos sua vó caída no chão, próxima ao sofá. Corri até ela e toquei seu pescoço.

– Bella ligue para a ambulância, rápido. – Pedi.

Bella pegou o telefone, discou e começou a falar com alguém. Se eu fosse mal deixava ela ali, mas era uma senhora, sim ela tinha seus defeitos, mas isso não justifica uma atitude assim.

[…]

– Meg, sua vó vai ficar bem… – Toquei seu rostinho. – Agora volte para o apartamento com Bella e descanse.

– Querida, Edward tem razão, você precisa comer algo…

– Mas eu não posso deixar minha vó! – Colocou as mãos no rosto. – Eu sei que ela é uma péssima pessoa, mas… Eu a amo, não quero que ela morra. – Disse ela com os olhinhos cheios de lágrimas.

– Meg eu vou ficar aqui, qualquer coisa eu te ligo princesinha… – Me abaixei a sua altura e toquei seu rosto.

– Tudo bem. – Se jogou em meus braços e beijou meu rosto. – Cuida dela Beward. – Disse ela soluçando um pouco.

– Pode deixar. – Bella e Margareth saíram, fui para o quarto de Marie e ela estava acordada.

– Como à senhora se sente? – Perguntei.

– Bem… Na medida do possível. – Sorriu fracamente. – Onde esta… Margareth?

– Bella acabou de leva – lá. Ela estava muito agitada, precisava descansar.

– Fez bem… – Fechou os olhos e ficou em silencio por alguns segundos. – Rapaz pode fazer um favor para mim?

– Claro o que?- Perguntei.

– Ligue para o meu advogado, o numero dele está na agenda do meu celular.

– Tudo bem, vou ligar para Bella e pedir para que ela me passe o número.

PDV Bella

– Quer comer algo pequena? – Indaguei.

– Estou cansada… – Margareth se deitou no sofá. – Se importa se eu dormir aqui hoje? – Pediu

– Você não vai dormir no sofá. – Peguei sua mão – Venha, deite na cama. – A cobri com um lençol e me sentei ao seu lado. – Vou pegar uma coisa que Edward pediu e já volto ok?

– Tá. – Disse ela com os olhinhos semicerrados

Sai do meu apartamento e fui para o de Meg. Edward havia me ligado e pedido para que eu passasse um numero que estava na agenda do celular de Marie. Achei sua bolsa sobre o sofá, abri, peguei o celular e busquei o nome na lista.

– J. Jenks… – Murmurei comigo mesma. Peguei meu celular e disquei para Edward.

– Amor?- Atendeu ele

– Ed, anote o numero ai.

– Só um minuto… – ouve silencio do outro lado da linha – Pronto amor pode passar…

[…]

Deitei-me no sofá e liguei a televisão, já se passavam das 23hrs00min e Edward não havia chegado ainda. Me entreti com um programa idiota que estava passando enquanto comia torta. A porta da sala se abriu e por ela passou Edward.

– Nem nos casamos e já está no sofá me esperando… – Eu ri. Coloquei o prato no criado mudo e me sentei, dando espaço para ele se sentar.

– Então como foi? Como ela está? – Perguntei

– Sinceramente, o estado dela não é um dos melhores. – Edward olhou para o chão. – Mas, e Meg?- Perguntou

– Está dormindo no meu quarto, ela estava cansada, chorou o caminho todo… – Edward se encostou ao sofá e me puxou para seus braços.

– Ela pediu para que vocês duas fossem lá amanhã. Ela tem algo a falar. – Disse ele pensativo.

– Comigo? – Indaguei confusa.

– Aham… – Beijou meu pescoço. – Vamos namorar um pouquinho… – Me deitei no sofá, puxando ele para cima de mim. Ficamos trocando beijos por um tempo, até que o cansaço bateu.

– Vou dormir no meu apartamento ok? – Ele disse com a voz cansada.

– Te vejo amanhã amor. – Colei meus lábios nos seus.

– Eu venho acordar vocês. – Disse ele risonho.

– Trás o café da manhã… – Brinquei. Edward me puxou pela cintura me beijando e saiu do meu apartamento. Caminhei para o meu quarto e deitei ao lado de Margareth.

[…]

– Vovó! – Meg correu até a cama e abraçou sua vó.

– Oi querida… – Beijou sua testa, e olhou para mim. – Será que você poderia nos deixar a sós?- Perguntou Marie, me fitando.

– Claro, estarei no corredor. – Sai do quarto.

– Então? – Edward indagou.

– Ela pediu que a deixasse a sós com Meg. – Dei de ombros.

– Vem aqui… – Me puxou para sentar no seu colo. Deitei minha cabeça em seu ombro. Alguns minutos se passaram e Margareth não havia saído da sala.

– Be-bella… – Foi eu pensar nela, que ela passou pela porta chorando.

– Querida porque está chorando? – Perguntei preocupada, correndo ao seu encontro.

– Nada… – Sorriu dando de ombros. – É só que… Eu me emocionei conversando com minha vó, e ela quer falar com você. – Disse ela sorrindo.

– Fiquei aqui com Edward. – Sai de seu colo. Ele a puxou para se sentar onde eu estava. Entrei no quarto e caminhei até a cama.

– A senhora deseja falar comigo?! – Perguntei.

– Sim… – Sussurrou. – Eu só… Só – Fechou os olhos e suspirou – Eu só queria pedir a você que cuide de Margareth, ela não merece ficar só. Eu sei que é um absurdo ouvir isso de mim, a velha que sempre tratou ela mal, mas… Eu não vou estar aqui para proteger ela. – Tossiu.

– Acho melhor à senhora descansar um pouco e…

– Prometa-me, por favor. Eu preciso ouvir você prometer. – Implorou. Segurei sua mão e a apertei.

– Eu prometo.

– Obrigada. Ontem eu tratei com meu advogado, ele já está ciente se algo acontecer comigo você ficará responsável por ela.

– Eu cuidarei dela como se fosse minha filha. – Prometi. A porta se abriu, e por ela passaram Edward e Margareth.

– Meg… Eu… Te… Amo… Me… Desculpa-me… – A mão de Marie se soltou da minha. O monitor disparou, apitando, informando que seu coração estava parando. Vi Edward gritar para que os médicos viessem.

– VÓ! – Margareth tentou se aproximar da cama a peguei em meus braços e a carreguei para fora. – NÃO BELLA, ME SOLTA! E-EU TENHO Q-QUE VOLTAR!- Gritava Meg

– Meg querida acalme-se… – Me sentei no sofá do corredor com ela em meu colo, chorando copiosamente. Puxei-a para um abraço e acariciei suas costas.

– Querida, acalme-se amor…

– ELA MORREU BELLA, ELA MO-MORREU! – Enterrou sua cabeça em meus ombros.

Aos poucos Margareth foi se acalmando. Edward saiu do quarto, e em seu rosto havia um misto de dor, dó e preocupação.

– BEWARD! – Margareth pulou do meu colo. – DIZ MINHA VÓ ESTÁ BEM? SIM NÉ? ELA ESTÁ BEM! QUANDO PODEMOS LEVA-LÁ PARA NOSSO APARTAMENTO?! DIZ! – Se agarrou a perna dele.

– Meg… – Se abaixou a sua altura. – Você precisa ser forte pequena… Sua vó… Ela…

– M-Morreu? – Voltou a chorar. Edward só acentiu, pegando-a no colo.

– Bella vamos embora amor. Margareth precisa descansar. – Peguei minha bolsa, e saímos do hospital. Sentei-me no banco de trás com Margareth, e deitei sua cabeça em meu colo.

– Vai ficar tudo bem, eu prometo… – Beijei sua testa. – Eu vou cuidar de você. – Margareth acentiu e seus olhos foram se fechando lentamente.

#—-#

N/A: Sim eu sei, eu demorei… ME PERDOEM! *-* Mas o próximo capitulo já está quase finalizado. O fim está próximo, mas todos já sabem que vai ter continuação 😛

Mas o que acharam do capitulo?! Mereço Review?! 😛 Recomendações?!

Tipo… To muito triste por que o Brasil perdeu, mas estou muito feliz porque a argentina saiu :p

E o Maradona, hein? Nem precisou ficar pelado pra levar de 4.

“Perder é humano, Levar de 4, então, é hermano :P”

b35; “Tomar de cuatro. Que cosa triste. És mucho golo, que cosa triste! No tiene time, que cosa triste!” b35;

Beijos meu povo :*

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: