Capitulo 9

Bella PDV
Passou-se quatro anos, em um piscar de olhos. Renesmee já parecia ter dezoito anos e não crescia deis de então. Ela era metade eu, e metade Edward, sem tirar nem por.Estávamos nos duas deitadas em minha cama, olhando para o teto.

– Mãe, já faz dois anos que tia Rosálie não vem…-Disse Nessie angustiada.

– Querida ela nem deve ter percebido que passou todo esse tempo. -Eu disse. Depois que Rosálie voltou para Forks, ela veio nos visitar apenas três vezes.

– Podíamos ir, só por um acaso sabe… – Ela se levantou do meu braço e me encarou sorrindo. -… Visitar Tia Rosálie.

– Não sei se é uma boa idéia, Tchuchuca.-Eu disse.

– Ew! Mãe não me chame assim, não sou mais criança. -Disse ela fazendo bico.

– Você sempre será minha thuchuquinha, aliás, você só tem quatro anos.

– Mas o tamanho e maturidade de uma jovem de dezoito anos. -Disse ela ainda fazendo bico

– Para de reclamar Tchutchuca. – Me sentei na cama e comecei a fazer cócegas em Renesmee. Ela tentava se desvencilhar, mas eu era mais forte.

– Para mãe, para…

[…]

– Filha eu acho que está na hora de nos mudarmos de cidade… -Eu disse pensativa

– Que tal New Hampshire, podíamos cursar Dartmouth…-Disse ela animada.

– Renesmee a gente já conversou sobre essa hipótese de você estudar. -Eu disse a encarando.

– Mas mãe, antes eu não podia freqüentar lugares assim por causa do meu crescimento, agora eu parei de crescer. -Disse ela emburrada  – Renesmee é perigoso minha linda. -Eu disse ,pondo um de seus cachos atas de sua orelha.

– Por favor, mãe? Presente de Aniversário!

– Filha, seu aniversário vai demorar muito ainda… -Eu disse rindo

– Por Favorzinho. – Ela fez aquela carinha à lá Alice Cullen, e sabia que eu nunca diria não a ela.-Suspirei derrotada.

– Vamos ver. Tudo bem? Mudamos-nos para New Hampshire e veremos.

– Ah que tudo! Te Amo muito mãe! – Nessie me deu um abraço apertado e correu pelas escadas. – Vou arrumar minhas malas!

Fui para a sala, liguei a TV e fiquei vendo o noticiário. Pensei nos meus pais… O que será que Edward inventou para Charlie? Que fugimos? Que eu morri? Como será que eles ficaram?

PDV Edward

Não estávamos mais em Forks. Se eu ficasse por lá, Charlie desconfiaria do sumiço de Bella. Para ser mais sincero eu estava pouco me lixando para ele.

Fomos embora há quatro anos, sem deixar explicações, nem nada. Ficamos por um tempo em uma cidade da Itália. Depois fomos para o Canadá e assim até nosso destino de hoje. New Hampshire. Carlisle insistiu para que voltássemos a estudar, se não seria mais difícil manter nosso segredo.

Desta vez eu não moraria com eles, eu já tinha uma casa lá, a casa que eu havia comprado para morar com Bella depois do nosso casamento. E seria lá o meu novo lar, e o lar do meu cachorrinho; Jacob. É nós estávamos morando junto… Não, morar junto soa muito Gay. Estávamos compartilhando a mesma casa. Tornamos-nos amigos.

– Edward você vai cursa o que?-Perguntou ele.

– Literatura Jake, e você? O que escolheu?-Respondi.

– Literatura também, mas tenho medo de não conseguir acompanhar a turma.-Disse El fazendo careta.

– Claro que consegue Jacob, serei seu colega e poderei te ajudar.-Eu disse divertido.

Era a primeira vez que Jacob entrava em uma universidade, então é obvio que é novidade para ele, então não custa nada eu ajudá-lo, aliás, ele estava me ajudando muito sempre que eu estava depressivo ele me ajudava.

– Urgh! Edward sua casa está um fedor!-Disse Alice. Só ela mesma para brincar com um lobisomem.

– Olha quem fala. – Jake riu. – Tão pequena… Mas tão fedorenta. -Disse ele fazendo cara de nojo.

– Eu uso perfume Frances, baby. -Disse ela, e logo lhe mostrando a língua.

– Grande coisa… – Jacob revirou os olhos. – Vou sair para caçar. – Disse ele. Subi para o meu quarto, estava cansado, louco para tirar um cochilo… Peguei vocês! Eu não durmo. Joguei-me na cama e fiquei olhando para o teto, sim, a única coisa que eu fazia era olha para a porra do teto, pensando por onde procurar Bella, como conversar com ela… Será que ela vai me perdoar? Será que ela ainda me ama? Será que ela está bem?

PDV Bella

– Mãe, eu te amo! – Renesmee falava isso deis de ontem, quando decidi que ela freqüentaria a faculdade.

– Já estamos matriculadas na faculdade, as aulas começa amanhã!-Eu disse rindo.

– Yay! Prometo me comportar, mãe!-Disse ela pulando de felicidade.

– Nessie, outra coisa… – A encarei seriamente.

– O que?- Perguntou ela, também ficando séria

– Você não vai poder me chamar de mãe, seremos as irmãs Swan. -Eu disse. Não podíamos arriscar.

– Tudo bem, vou caçar! Explorar New Hampshire. -Disse ela.

– Cuidado querida. – Alertei

– Eu sempre tenho cuidado. – Disse ela me dando uma piscadela.

Nessie saiu pela porta, já estávamos morando em New Hampshire, Renesmee estava doida para sair por essa grande e linda floresta, que havia entre a nossa casa.Subi para meu quarto e abri meu álbum do colegial, aquele que ganhei no dia do meu aniversario, quando Edward me deixou, para tentar salvar minha alma. A primeira foto era de Mike, Jessica, Ben e Ângela, a segunda foto era Charlie e Edward sentados na sala, em Forks. A terceira era minha e de Edward. Fiquei um tempo admirando a foto, me lembrando dos nossos momentos na ilha, – os melhores momentos de minha vida – a nossa primeira vez, eu ri lembrando dos travesseiros rasgados, a cabeceira da cama quebrada.
Comecei a soluçar – já que não podia chorar -, mas a dor no meu peito era enorme. Mesmo, depois de tudo o que houve, eu queria revelo, me entregar em teus braços, ser dele novamente. Eu não tenho raiva, nem ódio dele, só não tenho coragem de encará-lo. Não sei se ele me odeia se ainda me ama ou vai me perdoar por ter ido embora…

PDV Renesmee

New Hampshire, era um lugar muito show para caçar, captei o cheiro de dois leões da montanha, minha boca já salivava com o cheiro delicioso. Corri para o norte, em direção a minha presa. Saltei sobre uma rocha e avistei os leões da montanha a menos de 20 metros de distância. Antes dele correr, ataquei-o, agarrando seu pescoço e cravando meus caninos acima da sua veia. Suguei-o até o fim.Cara, agora que eu percebi que estava com fome.

Em menos de cinco seg. eu já estava encima do outro leão da montanha que tentou fugir, mas eu fui mais rápida.

– Ew! Sujei minha blusa. -A manga de minha blusa estava suja de sangue.Corri até uma pequena cachoeira que tinha ali, próximo do local onde eu estava. Lavei a manda da minha blusa.

A Cachoeira era límpida, dava para enxergar o fundo. A água cristalina estava calma. Arranquei minha blusa e minha calça, fiquei só de lingerie. Não teria perigo… Ninguém estaria andando pela mata essas horas. Subi numa pedra e saltei, fazendo acrobacias antes de enrolar na água, que por sinal estava ótima, nem quente nem fria. Submergi explorando o fundo da cachoeira, eu não precisava respirar, ficaria ali durante uma, duas, três horas. E realmente era incrível lá embaixo, eu podia ver tudo, varias espécies de peixes.

Ainda dentro d’água comecei a ouvir som de passadas, parecia que um grande leão se aproximava, mas a velocidade dele era muito rápida para um leão, sua velocidade se igualava a um vampiro, mas vampiro não tem quatro pernas. Ou tem?!

Saltei para fora da cachoeira, recolhi minhas roupas, corri. Eu que não ia ser tonta de ficar ali esperando o individuo chegar e eu ganhar de brinde uma passagem para o céu… Ou inferno. Corri o mais rápido que pude, enquanto corria fui colocando minhas roupas. Eu não ia chegar praticamente nua em casa, como eu ia explicar para minha mãe? Que tal… A mãe, tipo assim irmã, eu tava nadando na maior paz quando ouvi algum bicho de quatro patas vindo em minha direção. Ok… Péssima idéia, porque 1º minha mãe não gosta que eu fale usando essas gírias, 2º ela não deixaria sair mais sozinha, e isso estava fora de cogitação.

PDV Jacob

Estava correndo pela floresta quando peguei um rastro fedorento. Com certeza era um vampiro. Mas quem? Não era um dos Cullen, eu reconheceria o cheiro deles. Segui o rasto e deu em uma cachoeira. Parei perto de uma pedra, tentei ouvir movimentos ao redor, mas não consegui escutar nada. Um brilho próximo a margem me chamou atenção, saltei até lá e me agachei para pegar o pequeno coração de cristal que estava no chão.

– Eu já vi isso em algum lugar… – Sussurrei para mim mesmo enquanto girava o pequeno coração entre meus dedos. Já estava começando a escurecer, tirei minhas roupas e me metamorfei em lobo, corri para a casa do Cullen, que agora era minha também.

PDV Bella

Desci para a sala quando senti o cheiro de Renesmee, me aproximei lentamente, para escutar o que ela sussurrava.

– Eu to fudida, eu to fudida, eu to fudida!

– Porque Renesmee?-Perguntei séria

– MÃE! Que susto! Não faça mais isso! Ao contrario de você eu tenho um coração e mais um susto desse ele pode parar!-Disse ela pondo a mãe no coração depois de gritar. Renesmee estava preocupada com algo, dava para ver, já que ela tinha a mesma mania que o pai, de ficar passando as mãos pelo cabelo.

– Renesmee Swan… – Comecei com um tom de voz sério.

– Renesmee Carlie Swan Cullen, por favor… – Ela me corrigiu.

– Não tente fugir da minha pergunta!-Eu disse brava.

– Mãezinha… Você acha que eu? Que te amo tanto ia esconder algo da senhora?-Perguntou ela fingindo uma cara inocente.

– Então você está escondendo algo?- Perguntei com uma cara de “AHÁ… Te peguei na mosca!”

– Não! Não estou! – Respondeu prontamente. – Me desculpe mãe, mas tenho que tomar um banho… Esqueceu que amanhã é nosso primeiro dia na faculdade?

– Tudo bem… Vou preparar algo para você comer.

– Qual o cardápio da noite? – Renesmee me perguntou.

– Temos… – abri a geladeira. – Bife, batatas fritas, bacon e…

– E… ?

– Ovos.

– Ah que tudo! Sinceramente mãe, não sei o que dá em mim, mas eu sou louca por ovos! A senhora podia fazer um mexido de ovo, bacon e farinha. -Ok, acho que o fato, de eu ter me alimentado muito de ovo antes, durante o nascimento dela, deixou ela viciada em ovos.

– Tudo bem… Tome seu banho e dessa para comer!- Eu disse…E ela subiu rapidamente as escadas.

PDV Renesmee
Deixei minha mãe na sala e corri para o meu quarto. Eu definitivamente estava fudida. Por quê? Simples! Eu perdi o pingente da minha mãe… Entenderam minha situação? Não? Abram a porra do livro do Eclipse e leiam o único presente que minha mãe aceitou do meu pai! É… Esse mesmo, formato de coração, duro, frio e brilha no sol.

E eu o perdi! Imagina só o que minha mãe vai me fazer… Vai me deixar de castigo por toda a eternidade. Eu tenho que recuperar o pingente dela.Tomei meu banho, joguei uma camisola sobre o corpo e desci para a cozinha. Deparei-me com uma cena cômica. Minha mãe encarava a caixa de ovos, sem piscar. Juro que tentei não rir, mas foi impossível controlar. As vibrações da minha risada silênciosa fizeram com que ela se despertar do transe.

– O que a senhora está fazendo? – Indaguei, enquanto me sentava-se à mesa.

– Lembrando…

– De?

– Momentos que eu comi ovos… – Falou meio imersa, novamente, em pensamentos.

– Ah, eu tinha até me esquecido que a senhora foi humana… – Ok, eu estava curiosa, tinha que perguntar. – Mas qual foi o melhor ovo que a senhora já comeu?

– O do seu pai…

– Ew! Mãe, não to a fim de ficar escutando seus momentos de promiscuidades com o papai…- Eu disse fazendo cara de nojo.

– Não seja absurda Renesmee, está parecendo o seu tio Emmett. MENTE MALICIOSA!-Disse ela me repreendendo.

– Ah! Foi mal, pensei que você estava falando, ew, dos seus momentos com o papai, aliás, nem sabia que meu pai era cozinheiro.

– Programas de culinária na TV. Foi bem útil na nossa lua de mel… – Ela abriu um sorriso pervertido. Ew! – Adivinha qual eram os pratos que seu pai fazia?

– Servo frito? Leão da montanha tostado?- Minha mãe revirou os olhos.

– Não… Eram ovos. – Com essa eu tive que rir. Agora eu sabia a origem desse meu desejo louco por ovos.Comi meus ovos mexidos, que por sinal estavam uma delicia.

– Mãe, vou dormir! – Ela estava na sala assistindo TV.

– Tudo bem!- Disse ela se levantando e num piscar ela já estava do meu lado. Subimos para o meu quarto, deitei em minha cama e minha mãe sentou ao meu lado.

PDV Bella

Era tradição eu por Renesmee para dormir, eu me sentei ao lado dela e beijei sua testa.

– Boa noite querida. – Eu disse carinhosamente.

– Boa noite mãe… -Respondeu. Sai do quarto de Nessie e fui para minha pacata sala, passar a noite inteira assistindo TV.

PDV Edward

– Edward! – Jacob me chamava no andar de baixo.

– Já estou indo! – Abotoei minha blusa e desci.Jacob estava sentado no sofá.

– Sim? – Indaguei. Não esperei sua resposta. Invadi sua mente para ver o que estava deixando ele tão apreensivo.Ele estava correndo quando captou um cheiro, mas não era de vampiro, era um cheiro diferente, nunca sentido por mim antes.

– Jake o que era?- Perguntei sério.

– Não sei, ele fugiu, mas o cheiro… – Ele franziu a testa. -… Era cheiro de vampiro, mas tinha algo diferente…- Disse ele procurando alguma explicação.

– Sim, mas, sou muito complicado, eu nunca senti esse cheiro.-Eu disse pensativo,vasculhando sua mente.

– E nem fende tanto, vocês podiam cheirar assim também! -Eu ri, mas sem humor.

– Você seguiu o rastro?- Perguntei

– Não! Vai que é algum alienígena… -Disse ele,fazendo uma cara estranha.

– Jacob, você está andando muito com o Emmett!- Eu disse revirando os olhos.

– Ah! Vou tomar um banho. Comer algo, e dormir!-Disse ele sorrindo divertido,tinha uma pontada de divertimento ali.

– Ta se gabando por conseguir dormir e eu não?- Eu disse captando a mensagem

– Eu? Porque eu faria isso? Claro que não!- Disse ele sarcasticamente.”É… eu sou foda, eu posso e você não…” Dei um soco – de leve -, em seu ombro.

– Tome banho, eu vou fazer algo para você comer.- Eu disse rindo.

– Tudo bem, papai. – Ironizou enquanto subia as escadas.Corri para a cozinha e abri a geladeira. Uma dor rasgou o meu peito ao ver a caixa de ovos; lembrei-me do melhor momento de minha existência…  Na Ilha de Esme.

PDV Jacob.

Decidi não contar a ninguém sobre o pequeno pingente que eu achei, coloquei-o na minha pulseira, até que era bonitinho… Ele me lembrava Edward; era gelado, duro e quando o sol o batia brilhava. Eu ri da minha teoria.Terminei meu banho e desci para a cozinha. O cheiro estava ótimo e eu tinha que admitir… Ele cozinha bem.

– Que cheiro bom, sanguessuga. – Sentei-me à mesa.

– Não se acostume cachorro.

– Tudo bem, mordomo. – Brinquei com o vampiro deprimido.

– Encha a boca de comida. – O leitor de mentes deu uma tapa na minha nuca e saiu da cozinha.Devorei o bife mal passado, feito especialmente para mim. Subi para o meu quarto. Tinha que descansar. Amanhã é meu primeiro dia na faculdade, baby.

Anúncios
  1. Ai! Jake conta, conta, conta, conta sobre o pingente! Nessie você bem que poderia ter ficado lá né? Mas assim ia sair toda a graça da fic!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: