Capitulo 2

Capitulo 2 – A CHEGADA

A viagem durou aproximadamente 3 horas, Emmet ficava paquerando as aeromoças com cantadas ridículas…

– Ei linda, você me deixa sem era e nem beira. – disse o Emmett para a aeromoça.

– Emmett para seu lesado!! Essa é a pior cantada que alguém já ouviu, a aeromoça vai ficar constrangida e te jogar pra fora do avião. – Eu disse… Mas surpreendentemente a aeromoça deu uma risadinha e piscou para o lesado ao meu lado.

– Viu Bells eu sei o que faço!! – afirmou o cabeção do meu irmão.

– Ok ok.. – respondi e virei para o lado e acabei dormindo…

Acordei com cutucões e puxões… e de repente um grito

– ACOOORDAAAA!!! – era o Emmett me gritando…

Puta que nos pariu, dei um pulo e meti a cabeço no teto…

– AIIII, Emmett seu retardado! Não dava para ser mais delicado!? – gritei putz minha cabeça está doendo!!!

– Foi maus maninha eu tô te chamando a um tempão e você nem se quer responde, pensei que você tinha tido um derrame do Coração..- Emmett justificou…espera! O que ele disse? Derrame do Coração? Aff eu mereço mesmo, devo ter jogado tijolo na cruz, ou cuspi no cálice da santa ceia…

– Emmett o que você fazia esse tempo todo na escola? – perguntei sem acreditar que o retardado do meu irmão além de ser idiota é tão burro assim.

– Ah Bells, você sabe….eu aprendi….ér….a escrever meu nome, aprendi também que….que…aah Bells não me lembro, faz tanto tempo que não vamos para a escola…e corta o papo maninha, vamos antes que o avião comece a..a…a vamos logo.- ixi o catador de Aeromoça ficou nervozinho…

– Vamos então… – Fomos saindo do Avião… Estava doida para tomar um banho logo, mamãe nos deu um apartamento de presente, e agora temos carros, o meu carro é uma Ferrari vermelha, e o do Emm é um Jipe… Bem do estilo dele, GRANDÃO.

Pegamos nossas malas e fomos pegar um Taxi, pois mamãe comprou os carros e os enviou  para cá, nós nem vimos os carros ainda. – Estou ansiosos para vê-los.

– Emm vamos, tô cansada

– Vamos Bells – parou um taxi e entramos, ele deu o endereço para o motorista, nosso Ap ficava perto do campus, era praticamente um Hotel para universitários.

Chegamos e fomos para a recepção pegar a chave do nosso quarto, e entramos no elevador… Emmett começou a cantar Hakuna Matata, e fazendo passinhos bizarros, de repente o elevador para e entram dois loiros, uma Mulher linda, e um homem bonito, aparentemente são irmãos. Quando olho, meu irmão já está se aproximando da loira.. hum… nem quero ver no que vai dar..

– Oi, sou Emmett Swan, essa é minha irmã Isabella Swan, mas se você tiver amor a vida a chame de Bella, e você linda quem é? – meu irmão é muito cara de pau, vai sair do elevador todo desfigurado, só to vendo o loiro encarar ele.

– Oi, sou Rosalie Hale, e esse é meu irmão Jasper Halle, mas se você tiver amor a vida me chame de Rose e ele de Jazz. – Ui ela falou curta e grossa, eu não resisti e  comecei a gargalhar.

– Viu Emm, para com essas coisas, você enche muito o saco das pessoas, vai acabar morrendo sozinho, e solteiro. – falei rindo da cara dele.

– Ah tá Senhorita Bella, bem eu que fico encalhada por causa de um amor de infância, ele nem deve mais lembrar de você. – Emmett pegou pesado, olhei para ele fuzilando com os olhos, ele percebeu o erro.

– Ei grandão, coitada da sua irmã, deixa ela, eu também tenho um primo que é fixado em uma menina até hoje. – Rose disse quase pulando no pescoço do meu irmão. Ela Olhou para mim e ia falar comigo, mas o Elevador se abriu, e nem pensei, só sai dali rumo ao meu apartamento.

Cheguei e abri a porta e fui direto para um dos quartos que seria meu.

POV Rosalie

– Ei coitada da sua irmã, ela saiu daqui chorando, você devia pedir desculpas seu cabeça oca. – gritei com o tal do Emmet que era lindo, mas ignorante.

– Verdade, ela ainda não superou, obrigado e desculpe. – ele saiu do elevador.

Jasper olhou para mim, meio confuso.

– O que jazz? Por que tá me olhando assim? – perguntei já bufando, eu fico nervosa rápido mesmo.

– Você não viu? A pulseira da menina?

– Nem Observei jazz, mas por quê? Quer uma daquela para você? haha’ ou quer dar de presente para a Alice? – perguntei rindo da cara dele. Mas jazz fechou a cara.

– Não, acho que já vi alguém com uma daquela, tenho certeza. Mas não me lembro quem era que tinha uma parecida com aquela. – iiiii o Jazz tá pirando?

– Ei Jazz você anda cheirando? Fumando uns? Relaxa maninho você anda estressado demais, acho que a Alice não ta dando conta hein… – ele virou a cara e ficou quieto, descemos para o hall de entrada e fomos para casa, viemos só visitar a Alice, pois é o primeiro ano dela na faculdade.

POV Bella

TOC, TOC, TOC

– Emmett me deixa, você já me humilhou demais hoje, não acha?

– Maninha desculpa, só disse isso porque você ficou zombando da minha cara. – ri só de lembrar o fora que a loira deu nele.

– Emm, Tá eu te desculpo, espera ai vou tomar um banho. – disse para ele poder parar de esmurrar minha porta.

– Beleza, Bells toma banho logo para darmos uma volta, quero conhecer o território.

– hahahahaha demorô maninho, vamô planta o terror nessa cidade!!! – eu estava empolgada demais.

– Claro maninha, mas pode parar com essa empolgação hein, não quero ver você de agarra, agarra com ninguém. – ele falou e a voz dele foi se distanciando, deve ter ido pro quarto.

Tomei um banho me arrumei com um vestido preto curto, com detalhes prata, coloquei uma sandália prata com detalhes pretos, e fiz uma maquiagem marcante, fiquei linda, não linda, não fiquei Perfeita.

Sai do quarto e fui para a sala, meu maninho já tava lá pronto, ele me olhou dos pés a cabeça, estreitou o olho me examinando. As vezes ele me dá até medo.

– Ei maninha, onde você acha que vai com esse pedaço de pano? – hahaha não me diga que ele julgando meu vestido?!?!

– Emm vamos logo, não podemos demorar muito, amanhã temos que ir à universidade.

A que distraída eu sou, esqueci de falar, eu quero estudar artes, e meu maninho vai se formar em administração, não sei se ele vai se formar, acho que ele vai “tentar” se formar.

– Vamos então. – Emmett me puxou e fechou a porta, entramos no elevador e fomos até nossos carros que haviam sido entregue perfeitamente a tempo da nossa chegada.     – decidimos ir com o meu.

– A Bells vamos com o seu carro, eu quero fazer “pressão” para as gatinhas’ – nem tive como recusar, entramos e ele foi dirigindo. Rodamos a cidade toda, Hanover. era linda, comemos em um restaurante e voltamos para o apartamento, na garagem do lado da minha vaga tinha um Porshe amarelo lindo,  do lado tinha um volvo prata que não me trouxe boas recordações.

– Vamos bells, ou vai ficar ai babando nos carros? – Emmett me tirou do transe, nossa nem percebi que tinha ficado olhando.

– sim vamos. – entramos e pegamos o elevador.

Chegamos ao nosso apartamento eu fui para o quarto, pois no dia seguinte iríamos ter o primeiro dia de aula, tirei minha roupa, peguei minha camisola e arrumei meus materiais, olhei para meu violão que estava no canto da parede, olhar nele me fez lembrar de várias recordações, peguei-o e comecei a tocar uma das músicas que me fazia lembrar dele. Era uma das músicas que sempre tocávamos quando tinha nossa banda que se chamava ” Boys and Girls”, tocávamos musicas da banda Diwali e outras bandas, a que me fazia lembrar dele era a “Diwali – Sem sol, Sem lua”.

Comecei a afinar o violão, e tocar…

“O tempo passa não posso mais te ter

E nas minhas lembranças não consigo te esquecer

É triste sim, você longe de mim

Que pena que é assim me faz sofrer

Eu vou me acostumar

Ficar sem você

Os dias sem o sol, a noite sem as estrelas

Minha vida virou um mar

Um mar só de tristezas

E assim eu vou vivendo

Cada dia um tormento

A flor vai desabrochar

No jardim vou cultivar

O amor que é assim uma história sem fim,

A esperança esta no fundo do teu olhar,

E agora vou tentar sorrir,

se precisar estarei aqui

Eu vivo a sonhar a te amar.

O tempo passa não posso mais te ter

E nas minhas lembranças não consigo te esquecer

É triste sim, você longe de mim

Que pena que é assim me faz sofrer

Eu vou me acostumar

Ficar sem você

Os dias sem o sol, a noite sem as estrelas

Minha vida virou um mar

Um mar só de tristezas

E assim eu vou vivendo

Cada dia um tormento

A flor vai desabrochar

No jardim vou cultivar

O amor que é assim uma história sem fim,

A esperança esta no fundo do teu olhar,

E agora vou tentar sorrir,

se precisar estarei aqui

Eu vivo a sonhar a te amar.

E assim eu vou vivendo

Cada dia um tormento

A flor vai desabrochar

No jardim vou cultivar.

O amor que é assim uma história sem fim,

A esperança esta no fundo do teu olhar,

E agora vou tentar sorrir,

se precisar estarei aqui

Eu vivo a sonhar a te amar.

O amor que é assim uma história sem fim,

A esperança esta no fundo do teu olhar,

E agora vou tentar sorrir,

se precisar estarei aqui

Eu vivo a sonhar a te amar.”

Emmett entrou no meu quarto meio aéreo.

– Eii Bells por que você tá chorando? – nem tinha percebido que estava chorando até ele falar.

– Desculpa tava tocando e lembrei da lice e do Ed, será que um dia ainda vamos nos reencontrar? – eu perguntei para ele, mas sabia que a resposta era não.

– Bells, vai ser do jeito que Deus quiser. Deite e descanse maninha, amanhã é um longo dia…

Ele saiu do meu quarto, eu virei para o lado, não demorei muito e dormi…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: