You will come back to me – Part III

PDV Edward

Acordei com o som insuportável do meu celular tocando. Automaticamente inclinei-me e o peguei. Abri os olhos e vi um pequeno envelope pardo entre o flipe.

Edward

Eu conhecia aquela caligrafia, era a letra de Bella.

Olhei ao meu redor e percebi que suas malas já não estavam mais ali, senti meu coração acelerar e meus olhos lacrimejarem, ela tinha ido embora…

O celular não parava de tocar, olhei no visor: Tânia.

– Alô? – Atendi com há voz um pouco grogue.

– Edward? Onde você está? Eu te liguei a noite TODA!

Suspirei, eu não estava com cabeça para discutir com Tânia.

– Amo… – Aquela palavra ficou presa na minha garganta. – Tânia, pode me ligar depois?

– Porque Edward? Onde você está? O que está acontecendo?

– Eu só… eu estou meio que ocupado, te ligo assim que puder.

– Tudo bem… – Bufou – Eu te amo…

– Eu… eu também.

Desliguei o celular e o joguei contra a parede.

Eu estava tão perdido, tão enfurecido, mas eu não sabia o porquê desse sentimento em meu peito.

Olhei para o envelope e o abri.

Edward,

Meu querido, eu sei que é estranho escrever um bilhete assim, já que todas as vezes que lhe escrevi um era para dizer que logo eu voltava, que era para você me esperar, porém dessa vez é um adeus, eu não vou voltar mais.

Você sempre vai ficar em mim, para sempre, pois você foi e sempre será o único homem da minha vida, você me mostrou o que é o amor, e os momentos que passamos juntos ficaram para sempre guardado em minha memória. Seus beijos, seus toques, seu sorris,o seus olhos, prometo nunca esquecê-los. Cada homem que eu ver na rua eu vou me lembrar de você, do seu andar, da sua forma de mexer no cabelo quando está nervoso. E eu querendo ou não, ainda te amo, como uma adolescente quando descobre o primeiro amor. E creio que esse amor não vai se apagar tão cedo.

P.s: Esse é o nosso primeiro e ultimo dia de casamento, caso você não se lembre, hoje é dia 07/08/2009, comemoraríamos 6 anos de casados…

Te amo mais do que minha própria vida!

Sua Bella

O papel estava meio molhado, eu podia apostar que eram lagrimas. Olhei para o relógio, faltavam exatamente 20 minutos para que o vôo de Bella saísse talvez eu conseguisse ter seus lábios nos meus pela ultima vez…

Levantei-me da cama, me troquei, peguei minhas coisas e desci para o Hall, deixei a chave na recepção e entrei no meu volvo.

Olhei no relógio eu tinha 15 minutos para chegar ao Aeroporto de Forks. Acelerei o máximo que pude. Quando cheguei, corri pelo hall, todos me olhavam como se eu fosse um doido, mas eu estava pouco me lixando. Cheguei ao portão quatro e vi toda minha família ali. Corri meus olhos entre eles, buscando aquelas par de orbes chocolates, mas não a encontrei. Nem Bella, nem Renesmee.

– E-edward… – Alice me olhou, seus olhos estavam vermelhos e inchados. – Elas s-se foram…

– Inferno! – Chutei o lixo que estava próximo a mim.

– Edward, meu filho, acalme-se.

Deixei Esme falando sozinha, corri de volta para o estacionamento e entrei no meu carro. Encostei minha testa no volante e gritei, tentando amenizar a dor em meu peito.

Porque eu estava sentindo essa dor se eu já não amava Bella? Porque eu sentia que estava faltando uma parte do meu coração?

Fui eu quem fiz as escolhas, fui eu quem destruiu tudo, fui eu que deixei de ama – lá…

Liguei o carro e dirigi para o bar mais próximo, eu precisava beber algo forte.

PDV Bella

– Querida prenda o cinto.

– Hum? – Renesmee abriu os olhos para depois voltar a fechá-los, me inclinei sobre ela e fechei o sinto ao seu redor.

O avião começou a levantar vôo, olhei pela janela, vendo aquela cidade ficar menor a cada segundo.

Toquei minha barriga sobre a blusa. Eu cuidarei desse bebê com todo o meu amor, eu vou ser seu pai e mãe.

E por mim, Edward nunca saberá, afinal, ele nunca quis outro filho, ele já havia deixado isso bem claro…

Flash Back ON

Edward estava sentado no sofá, com a cabeça jogada para trás e os olhos fechados. Pulei em seu colo e passei a distribuir beijos por seu pescoço.

– Hm… – Sorriu – Que delicia gostosa… – me apertou em seu colo – Mas o que você quer?

Revirei os olhos

– Nem posso mais beijar meu marido gostoso? – Ri.

– Pode falar, sei que você quer me pedir algo.

– Ok… – Mordi os lábios e lambi sua orelha, pude sentir Edward estremecer. – Sabe amor…

– Hmm…

– Eu estava pensando… – Entrelacei meus dedos em seus cabelos e mordi sua boca.

– No que?

– Que tal… – Me afastei dele e colei nossas testas. – Mais um bebê? – Mordi meus próprios lábios. – Eu queria tanto ter mais um filho com você.

– Bella… – Edward me empurrou delicadamente. – Nessie é tão pequena, nossa vida ia ficar tão conturbada…

– Você acha que um filho seria conturbador? – Afastei-me sentindo meus olhos marejarem.

– Não amor, você entendeu errado. – Puxou meu queixou e acariciou meu rosto. – Só acho que seria melhor programar tudo, um bebê agora ia te atrapalhar no hospital, somos jovens, teremos muito tempo para isso, à vida toda.

– Tudo bem…

Suspirei. Sai do seu colo e subi as escadas. Entrei no quarto e me deitei na cama.

– Bells, amor… – Senti o outro lado da cama se afundando e os braços de Edward enlaçando minha cintura – Não fica chateada, nós nos amamos, teremos anos pela frente, se você quiser podemos montar um time de futebol… – Virou-me, fazendo com que eu ficasse de frente para ele. -… Com direito a reservas, arbitragem e…

Juntei nossos lábios, suas mãos desceram pela lateral do meu corpo e entraram por de baixo da minha camisa, acariciando minha cintura.

– Que tal começar a treinar agora? – Rolou parando sobre mim.

– Hmm… eu vou adorar. – Puxei seu queixo e invadi sua boca, deixando nossas línguas se encontrarem em um beijo quente.

Flash Back OFF

Naquela época Edward não estava me traindo e não queria mais filhos, agora não seria diferente. Eu não o forçaria a ficar comigo só pela gravidez.

Fechei os olhos. Eu precisava dormir.

PDV Alice

– Esme acalme-se.

Papai tentava fazer com que mamãe se acalmasse, mas isso era impossível, já que todos estavam preocupados com Edward que não atende o celular, não esta em casa, não foi trabalhar e nem está com a puta da Tânia.

– Carlisle pode ter acontecido algo com ele, então não me peça para ficar calma!

Nesse instante a porta da sala se abriu. Emmett e Jazz passaram por ela, trazendo Edward enganchado em seus pescoços.

– OMG!

– O achamos bebendo em um bar.

– Leve-o para o seu antigo quarto.

PDV Edward

Abri os olhos, mas logo os fechei, a claridade fez com que meus olhos doessem.

Minha cabeça estava latejando, meu corpo dolorido, minha garganta seca e amarga.

– Filho…

Era a voz da minha mãe, mas o que ela estava fazendo em minha casa?

– Mãe? – Abri os olhos lentamente, para que minha pupila se acostumasse com a claridade. Olhei ao redor e arfei – O que estou fazendo aqui?

– Você se embebedou… – Acariciou meu rosto. – Emmett e Jasper te acharam em um bar.

– Minha cabeça esta doendo…

– Tome isso… – Esme estendeu um copo com água gelada para mim.

– Obrigada mãe… – Sentei-me e encostei minhas costas na cabeceira da cama. – Pode me deixar só?

– Claro querido… – Se levantou e beijou minha testa. – Você precisa pensar no que quer, não pode ter tudo o que deseja, e nem sempre o que achamos certo é certo… – Sussurrou.

Não entendi muito que ela quis dizer com aquela frase. Eu só queria ficar só…

# 2 Meses depois… #


Sai do hospital e segui para a casa de Tânia, ela estava reclamando muito que eu não ligava mais para ela, que eu não a amava, tudo porque eu falei o  nome de Bella na hora do sexo, foi sem querer, porém, consegui contornar a situação.

Flash Back On

– Isso Ed… amor, mais forte!

Fiz o que ela pediu, quando chegamos ao épice, coloquei minha cabeça na clavatura de seu pescoço e fechei os olhos. Aspirei seu cheiro delicioso que me lembrou…

– Bella… – Sussurrei abraçando seu corpo.

– Do que você me chamou?

Merda! Merda! Merda! Já não era a primeira vez que eu pensava em Bella na hora do sexo. Pensei rápido em uma desculpa…

– Cada dia mais bela, gostosa…

– Edward eu ouvi mui…

Calei a boca dela com um beijo. Tânia era gostosa, mas ficava mais gostosa ainda com a boca fechada.

Flash Back OFF

É, foi horrível, porém hilário, mas de certa forma Bella não saia da minha cabeça, meu interesse sexual por Tânia diminuiu a zero, e toda noite durmo com Tânia em meus braços, mas pensando em Bella.

Quando ligo para falar com Renesmee, Bella evita falar comigo, eu posso ouvir em sua voz que ela ainda está magoada comigo.

Estacionei meu carro na garagem do prédio de Tânia e subi para o seu andar. Eu tinha a chave então entrei facilmente.

A porta do seu quarto estava entreaberta, coloquei minha cabeça para dentro.

– QUE PORRA É ESSA? – Chutei a porta, fazendo-a bater na parede.

– E-edward? – Tânia puxou o lençol para cobrir o corpo. – E-eu… eu p-posso explicar!

– AÉ? VAI EXPLICAR O QUE? – Gritei irritado – QUE TRANZOU COM JAMES? OU QUE ME FEZ DE IDIOTA?

– Ei vai com calma! – James se levantou da cama.

– Cala a boca seu desgraçado!

– JAMES, EDWARD, PAREM! – Tânia berrou.

– Qual é Edward, agora você pode dizer que sentiu na pele como é ser traído… – Sorriu – Se Bella não tivesse ido embora, com certeza eu não levaria Tânia para a cama, e sim ela, Bella é muito gost…

– Idiota! – Não deixei ele terminar de falar. Joguei meu punho para trás e voltei em seu rosto. – Não toque no nome de Bella!

James caiu sentado no chão, seu nariz estava sangrando.

– Edward meu am…

– Tânia sua piranha, não me chame de AMOR! – Cuspi para ela e ri – Afinal… nem sei o porque de estar aqui falando com você, nunca amei você, foi tudo uma ilusão!

– Claro que você me ama! Só não admite agora porque está ressentido porque pegou eu te traindo.

– NÃO! – Soquei o ar – ESTOU RESSENTIDO POR TER TROCADO A MULHER DA MINHA VIDA, QUE ME AMAVA E FAZIA TUDO POR MIM POR UMA SIMPLES… – Olhei Tânia de cima a baixo –… VADIA. ESTOU POUCO ME LIXANDO PARA VOCÊ, DEIS DE QUE BELLA SE FOI TODAS AS VEZES QUE TRANZAMOS EU ESTAVA COM A CABEÇA NELA, SIM, PORQUE ELA É MELHOR QUE VOCÊ COMO MULHER E… – Ri -… NA CAMA.

James tentou se levantar do chão, porém eu fui mais rápido. Chutei seu estomago.

– Isso é para você nunca mais tocar no nome da MINHA BELLA.

Sai do apartamento. Entrei em meu volvo e dirigi para a casa dos meus pais. Eu precisava desabafar… Como eu fui tolo em me deixar levar por alguém que eu mal conhecia, por uma mulher que nunca me amou, que só queria me fazer de bobo e se aproveitar dos presentes que eu dava a ela. Como pude trocar Bella, que sempre me amou, nunca mentiu para mim, que sempre esteve ao meu lado – nos momentos ruins e bons. Mas eu merecia sofrer, fui eu quem trai, fui eu quem errei… fui eu que joguei tudo no lixo.

Parei o carro em frente a casa e entrei. Como eu já imaginava, todos estavam ali, era domingo.

– Edward o que ouve?! – Esme indagou assim que entrei na sala.

– Eu preciso do endereço de Bella

PDV Bella

2 Meses. Suspirei. Foram os mais demorados – e dolorosos – meses da minha vida. Eu sentia tantas saudades de Edward, mas não liguei nem procurei por ele. A escolha dele foi viver sem mim e quem era eu para fazê-lo mudar de idéia?

– Querida você ouviu o que eu falei?

– Me desculpa mãe… – Pisquei desorientada – O que você falou?!

– Perguntei quando vai ser a próxima ultrassom…

– Depois de amanhã… – Toquei minha barriga.

Eu completaria três meses daqui dois dias e a minha obstetra tentaria ver o sexo.

– Estou doida para saber se vou ser avô de mais uma menina, ou de um menininho… – Pousou a mão em minha barriga – Eu ainda acho que você devia contar a Edward…

– Não mãe… – A cortei – Eu já disse que não! Ele pouco se importa comigo… – Senti as lágrimas traiçoeiras voltarem a percorrer o já conhecido caminho pelo meu rosto -… Ele deve estar com sua… sua piranha, não quero que algo obrigue-o a ficar comigo.

– Ok, acalme-se… – Limpou as lagrimas do meu rosto – Não está mais aqui quem falou, faça o que achar melhor.

– Sim, é o melhor para mim, para ele e para nossos filhos.

Renée deu de ombros e se levantou.

– Bom, vou embora, amanhã se der eu passo aqui.

– Tudo bem… – Levantei-me e a acompanhei até a porta – Amo a senhora… – Passei meus braços ao redor da sua cintura – Me desculpa por ter sido tão grossa…

– Tudo bem querida… – Acariciou minhas costas – Eu entendo você e também te amo, muito.

– Já vai vovó?! – Renesmee desceu as escadas.

– Já querida, volto amanhã.

– Estaremos aqui. – Sorri.

Minha mãe se foi, já era tarde então tranquei todas as portas, janelas. Renesmee e eu jantamos e subimos para o andar superior. Nossa casa era de dois andar, porém pequena, perfeita para nós duas.

– Amo você… – Agarrou-me pelo pescoço enquanto eu a cobria.

– A mamãe te ama mais, muito mais!

– Mentirosa!

– Ah, acha que estou mentindo? – Perguntei incrédula.

– Claro que está! – Revirou os olhos – Eu te amo mais!

Gargalhei.

– Acho que ficaríamos a noite toda discutindo isso, e eu até ficaria aqui com você, mas nosso neném está tão cansando quanto à mamãe.

– Meu irmão e muito preguiçoso!

– Irmão?! Você quer um irmãozinho?!

– Claro! – Sorriu – Não estou afim de dividir minhas bonecas com ninguém!

– Egoísta! – Beijei sua testa – Mas saiba que seu tio Emmett sempre pegava minhas bonecas.

– Para brincar? – Gargalhou.

– Algo assim…

Eu não ia contar isso para Renesmee ela era muito pequena para saber das perversidades do tio.

– Durma bem.

– Bença mãe. [N/A: Nunca vi nenhuma fic por isso, mas é essencial né :D, pelo menos eu quando eu chego,saiu,acordo, e vou dormir :D]

– Deus te abenções querida.

Apaguei a luz e acendi o abajur. Sai do seu quarto e fui para o meu – que ficava ao lado do ela. Tirei meu vestido e coloquei minha camisola. Deitei-me no meio da enorme cama e me cobri. Era tão estranho estar em uma cama enorme sem pernas entrelaçada as minhas, sem ter um corpo para me aquecer, braços para me proteger. Era tudo tão frio, tão… só. Já se passaram meses sem Edward, mas ainda era como se fosso o primeiro dia.

Apaguei o abajur e fiquei virando na cama à procura de uma posição confortável. Acabei ficando de lado.

A luz da lua – que entrava pela janela – clareava a foto que estava sobre o criado mudo, a foto minha com Edward e Renesmee, eu me lembrava daquele dia, nos estávamos no parque com Alice, Edward se sentou e puxou Renesmee para seu colo e pediu para que eu o abraçasse por trás, para que Alice batesse uma foto da nossa família.

Tempos passados, momentos incríveis que jamais voltariam a ser vividos, não por nós três juntos.

#Link Seguro#

***

http://www.4shared.com/audio/oBJQBDAw/14_Simple_Plan-Crazy__Acoustic.htm

***

Ou

***

http://www.youtube.com/watch?v=IbIHIaU4wqQ

***

PDV Edward


– Mãe, eu preciso! Ela vai voltar para mim, ela tem que voltar

Até quem fim tu caiu na real! – Emmett me abraçou – Eu já não agüento mais de saudades daquelas duas! Ou devo dizer dos três?!

– Hein?!

– Emmett! – Rosalie tacou uma almofada nele.

– Emm está certo – Meu pai tocou meu ombro – Edward tem que saber.

– Mas Bella implorou para que eu não contasse! – Alice bateu o pé.

– Não vai ser você quem vai contar! – Carlisle se sentou e sorriu.

– Eu conto! – Emmett levantou a mão.

– Não, se for para contar eu conto! – Alice se aproximou pisando duro

– Não. Eu conto! – Emmett revidou.

– Não. Eu conto! – Alice insistiu.

– Eu conto!

– Eu!

– Não, eu!

– PAREM! – Minha mãe gritou, fazendo todos se calarem. – PORRA, EU CONTO! BELLA ESTÁ GRAVIDA!

– O-o que? – Me levantei.

– Esme, você me magoou. – Emmett choramingou – Eu queria contar.

– Cala a boca seu cabeçudo! Por sua culpa eu não contei. – Alice socou ele.

– Bella está… está…

– Grávida? É isso ai, mais um sobrinho! – Emmett fez uma dancinha patética.

– Porque raios ela não me contou?!

– Simples… – Alice se jogou no sofá. – Porque ela não queria te prender, e nem que você ficasse com ela por causa da gravidez… – Assopro as unhas. – E cá entre nós, você não merecia saber.

– Merda! Como fui besta! É claro que ela está grávida, eu me lembro de quando nos encontramos no escritório de Jacob, ela passou mal… – Passei a mão nos meus cabelos. – Quer saber, eu vou para Los Angeles.

– Deixa eu ir junto?! – Emm pediu.

Vamos buscar nossos amores.

[…]

– Nós voltaremos logo. – Sorri – Mas não sozinhos.

– Tragam elas de volta. – Esme pediu.

Emmett e eu fomos para a fila e fizemos o check-in.

– Estou com saudades da minha mamãe…

– Ótimo. – Sorri – Assim, eu posso falar com Bella sem interrupções;

– Beleza.

Entramos no avião, Emmett se sentou ao meu lado.

– Sabe, eu sempre quis ser um piloto de avião… – Falou para o senhor que estava do outro lado do corredor. – Mas não de um avião qualquer, eu queria pilotar um caça.

– Eu também… – O senhor inclinou-se para falar com ele – Mas… matei um jovem QUE NÃO PARAVA DE ENCHER O SACO!

– Emmett! – Puxei meu cunhado – Para de atormentar o velho!

– Desculpa…

Esse vôo ia ser longo…


PDV Bella

– Pequena, rápido com esse sapato ou iremos chegar atrasadas.

– Já estou indo, já estou indo. – Renesmee correu até mim – Que droga, porque temos que ir a pé?

Sua avó tirou meu carro… – Suspirei – Ela acha perigoso eu ficar andando por ai de carro.

– Mas a pé cansa mais.

Dei de ombros.

– Parece o seu pai, vive reclamando. Vamos, caminhar faz bem.

A escola de Renesmee não era tão longe fomos conversando o caminho todo.

– As cinco e vinte estarei aqui. – Beijei sua testa.

– Tchau mãe.

– Tchau querida.

Esperei Renesmee entrar na escola e sai dali. Coloquei as mãos nos bolsos do meu sobre-tudo, estava frio em Los Angeles…

Cheguei em casa e encontrei uma correspondência no correio, me sentei no sofá e abri o envelope pardo. Meus olhos percorreram a folha e a cada palavra que eu lia, uma lágrima caia. Era os documentos do divorcio.

Parte 4 >>>

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: