You will come back to me – Part IV

[…]

PDV Edward

– Porque ninguém me disse q-que aqui tava frio pra caralho?!

– Emmett pare de reclamar! – Dei um tapa em sua nunca – Vamos pegar um táxi – Acenei para o táxi, que parou – Qual o endereço da sua mãe?

– Eu sei lá…

– Porra Emmett é a sua mãe!

– Calma ai nervosinho… – Tirou o celular do bolso. – Vou ligar para ela

Entrei no táxi enquanto Emm falava no celular.

– Minha mãe não atende… – Entrou bufando – Mas eu sei aonde ela mora… – Sorriu.

– Vou.socar.a.sua.cara!

[…]

Paguei o táxi. Emett e eu fomos até a porta da casa de Reneé, toquei a campainha.

– Será que seu pai está ai?! – Indaguei.

– Não sei, essas horas ele deve estar na delegacia, por quê?

– Graças a Deus… – Agradeci – Não quero tomar tiro.

– Meu pai nunca atiraria em você

– Claro que atiraria…

Sim, Charlie atiraria. Eu me lembro muito bem de quando ele disse isso…

Flash Back ON

Bella e charlie caminhavam lentamente, seguindo o ritmo da marcha nupcial.

Minhas mãos suavam, meu estomago revirava. Eu estava muito ansioso para casar com a mulher da minha vida.

– Cuide dela rapaz… – Charlie passou a mão de Bella para mim.

– Eu cuidarei – Garanti.

Charlie sorriu e se inclinou para falar em meu ouvido.

– Acho bom… – Sussurrou – Se você magoar minha filha e vou te dar um tiro!

Flash Back OFF

Eu quase me borrei todo naquele dia.

– Hello! Terra chamando Duduzinho…

– Duduzinho é o seu caralho! Porra Emmett, não me chame assim.

– Como? De Duduzinho?! E não meu caralho é Mettzinho.

Suspirei. Apertei a campainha de novo, de novo, de novo, de novo e de novo.

– PAREM DE APERTAR A CAMPAINHA CRIANÇADA FILHO DA PUT… – Renée abriu a porta berrando.

– A senhora sabe que está se xingando né? – Emmett quebrou o silêncio.

– Oh, meu bebê!

Reneé se jogou nos braços de Emmett.

– Mãe… – Emm resmungou – Eu não sou mais bebê

– Você sempre será!

Eu ri.

– Desculpa interromper, mas preciso do endereço de Bella – Puxei Emmett pela gola da camiseta, distanciando-o de sua mãe.

– Oh, eu sabia que você viria! – Reneé me abraçou – Mas não pense que não vou lhe dar uns tapas. – Socou meus braços.

– Ai… Juro que eu deixaria você me espaçar, mas preciso ver Bella, você pode nos levar até ela?!

– Esperem um minuto… – Renée entrou correndo e voltou segundos depois – Tome, tire o carro da garagem – Jogou a chave para mim.

Corri até a garagem e apertei o alarme, a BMW preta piscou os faróis.

– O que o carro de Bella faz aqui?! – Perguntei a mim mesmo enquanto entrava no carro e saia da garagem.

Parei o carro na rua. Emm entrou com…

– Que merda é essa Emmett?! – Apontei para o megafone que estava na sua mão.

– Tive uma idéia.

– Hei! – Renée parou o carro ao nosso lado – Vou deixar vocês lá, depois vou almoçar com Charlie.

Segui Renée pelas ruas de LA, enquanto Emmett me explicava seu plano.

– Achei boa a sua idéia…

– Sério?!

– Não! – Revirei os olhos – Que porra Emmett, não vou fazer isso.

– Acho que é o mínimo que você tem que fazer, já que magoou muito minha irmã.

Suspirei.

– Você tem razão.

– Tenho?!

– Não! – Sorri – Estou brincando. Eu topo participar do seu plano.

– Yay!

[…]

Reneé parou o carro em uma esquina. Emmett saiu do carro e correu até o carro de Renée, logo depois voltou.

– É nessa rua no numero 65.

Liguei o carro e dirigi lentamente, olhando os números.

– Ali! – Emmett apontou para uma casa branca, de dois andares.

Desliguei o carro e pulei para fora.

– Me de logo esse megafone. – Tomei o objeto de sua mão e respirei fundo.

– Bella… – Falei no megafone – Eu sei que você reconheceu minha voz, mas para deixar mais claro sou eu Edward.

– Ta dahora, continua. – Emmett incentivou.

– EU SEI QUE FIZ ESCOLHAS ERRADAS, TROQUEI VOCÊ; A MULHER DA MINHA VIDA, POR UMA OUTRA QUE NEM CONHECIA… – Respirei fundo, olhei ao redor e as pessoas curiosas já começavam a se aglomerar ali – EU ERREI, EU SEI QUE FUI UM IDIOTA E NÃO TE MEREÇO, MAS EU TE AMO, POR FAVOR VOLTA PRA MIM…

A porta da sacada se abriu e por ela passou um homem musculoso.

– Você quer o que?! – Contraiu os músculos.

– OMG, perdeu Edward, Bella foi rápida já te esqueceu. – Emm balbuciou.

– Você é o que, amigo dela? – Indaguei.

– Sou namorado dela.

– Merda! – Joguei o megafone no chão – Não credito que ti perdi Bella.

– Bella? – O cara indagou.

– Sim, Isabella. – Abri os braços – Isabella Swan.

– Ah cara você bateu na casa errada. – O cara riu – Quem mora aqui é a maribella.

Que nome feio… pensei.

– Que nome feio! – Emmett falou em voz alta.

– Cara! – Um homem que estava nos assistindo me chamou – Isabella Swan mora ali! – Apontou sobre o meu ombro.

Virei-me para trás e a vi

Bella estava na soleira da porta com uma expressão cômica.

Caminhei em sua direção, mas antes de ir até ela, parei em frente a Emmett e bati em sua cabeça.

– VOCÊ ERROU O NUMERO! – Bati de novo e estendi a chave do carro para ele. – Vai dar uma volta.

– Tudo bem… – Sorriu pegando a chave – Bate e depois quer agradar.

Virei-me para olhar Bella, que ainda estava estática, no mesmo lugar. Corri em sua direção e sem pedir a abracei contra o meu peito. Pousei minha cabeça em seu ombro e senti novamente o seu cheiro doce.

– E…Edward?! – Bella gaguejou.

Tirei minha cabeça do seu pescoço e a olhei, não consegui prender minha atenção nela, já que senti um cutucão em meu abdômen. Desci meus olhos pelo seu corpo e sorri. Olhei para trás e muitas pessoas ainda estavam ali. Forcei Bella a entrar para sua casa e fechei a porta.

– É verdade… – cai de joelhos em sua frente e encostei minha mão em sua barriga. Não reprimi as lágrimas que queriam sair, deixei-as escorrerem livres – Oh meu Deus… – Me levantei e encarei Bella, seus olhos estavam marejados. – Bella…

– O que… o que você veio fazer aqui? – Indagou afastando-se, porém dei um passo junto com ela.

– Eu vim… vim… – abaixei a cabeça – Me perdoa, eu errei, eu fiz uma merda, tornei minha vida um inferno! – Ergui meu rosto e olhei seus olhos – Eu já não sei viver sem você e Renesmee.

Bella fechou os olhos e quando os abriram lágrimas escorreram pelo seu rosto.

– Por favor, não chora… – Enxagüei as lágrimas – Eu já me sinto tão horrível por tudo que lhe fiz não quero te ver chorar novamente. – Toquei seu tosto.

Bella suspirou pesadamente e se sentou no sofá. Merda, ela está grávida, não pode se extressar.

– Acalme-se Bells… – Sentei ao seu lado – Vou pegar um copo d’água para você.

PDV Bella

Quando me acalmei, coloquei o copo que Edward trouxe para mim, na mesa de centro. Eu estava tremendo. Edward estava ali e disse que não conseguia viver sem mim, por quantas noites eu sonhei com esse dia, e aqui está ele, na minha sala.

– Me desculpa… – A voz de Edward me fez voltar para a realidade. – Eu devia ter ligado, mas não pensei nisso.

– Está tudo bem… – Garanti, sentando-me melhor no sofá. – Eu só fiquei um pouco… surpresa.

Edward aproximou-se deitando sua cabeça em meu ombro e pousou a mão em minha barriga.

– Eu sei que você estava certa, mas… você devia ter me contado sobre nosso filho.

– Você não queria mais filhos. – Murmurei.

– Eu sei, mas é o meu filho entende? – Afastou-se para me olhar – Eu posso ter dito isso, mas quando soube que você estava grávida… – Um sorriso torto brotou em seus lábios – Eu fiquei feliz, eu senti aquela adrenalina sabe, aquela mesma sensação de quando você me disse que estava grávida de Renesmee.

– Ok, então você sentiu tontura e desmaiou. – Ri, algo que era raro para mim – Pois pelo o que eu me lembre foi isso o que você fez.

– Ok, você não precisava me lembrar disso… – Fez careta – Mas isto não vem ao caso. – Edward segurou minha mão entre a sua. – Como você está?

– Bem… – Ele me olhou desconfiado – Ok, eu não estou bem.

– E tudo isso é culpa minha… – Resmungou.

– Sim, é.

– Essa era a hora que você negava.

Era tão bom ficar perto de Edward, mesmo depois de tudo o que aconteceu, eu ainda me sentia bem ao lado dele, ele me fazia rir de uma maneira tão fácil…

– Onde está Renesmee?! – Edward quebrou o silêncio.

– Na escola. – Dei de ombros.

– Que bom…

– Claro que é bom… para ela.

– Para nós… – Mordeu os lábios – Podemos conversar?

– Já não estamos conversando?! – Rebati

– Bella… – Suspirou. – Você entendeu…

Abaixei a cabeça.

– Eu só… não quero reabrir feridas que ainda não cicatrizaram… – Fechei os olhos.

O silencio pairou na sala. Quando abri os olhos e dei por mim, Edward estavam muito perto… perto demais.

PDV Edward

Eu não conseguia manter distancia de Bella, já se fazia dois meses que eu não sentia seus lábios. Eu precisava disso.

Rocei meus lábios nos de Bella, projetando meu corpo sobre o seu. Era um simples selinho, mas aquele contato fez meu corpo ficar em chamas. Pressionei minha língua contra os seus lábios, tentando abrir passagem, porém Bella não os abriu.

– Oh merda, me desculpa! – Afastei-me – Eu não devia ter feito iss…

– Fica quieto! – Bella puxou-me, violentamente, invadindo minha boca com sua língua quente. Levei minha mão até sua nunca segurando seu pescoço. Seus dedos entrelaçaram-se em meus cabelos, puxando-os levemente – como sempre fazia – enquanto sua língua travava uma batalha com a minha. Deixei minha mão percorrer a lateral do seu corpo, parando em sua coxa e a puxando para o meu colo.

– Bells, se você não quiser essa é a hora de se distanciar. – Murmurei entre arfadas – Eu não sei se vou conseguir parar se eu continuar.

– Ok. – Ela puxou-me pela gola da camisa, colando nossos lábios – Eu não quero que você pare… – Sussurrou contra meus lábios – Nunca quis que você parasse…

Encostei minha testa na sua, eu precisava saber, não, eu não precisava, eu necessitava saber, eu queria ouvir dela.

– Bells… – Joguei sua franja para trás. – Você me perdoa?! Eu te fiz sofrer tanto, sei que não mereço seu amor e…

– Shh… – Ela tampou meus lábios – Eu falei serio quando disse que sempre iria te perdoar…

Sorri.

– Eu te amo. – Falei com toda a sinceridade que eu pude. Era fato, eu a amava muito, sempre amei.

– Eu também… – Mordeu os lábios – Agora podemos continuar a fazer o que estávamos fazendo?! Estou com tanta saudades… – Desceu seus lábios pelo meu pescoço.

Eu sorri. Ela sempre seria minha. A minha Bella safada.

– Safada… – Me levantei com ela no colo. – Minha safada.

– Sempre…

– Não quero fazer isso com você, no sofá.

– Suba as escadas, no corredor, primeira porta do lado direito.

Segui tudo o que ela indicou, tomando cuidado para não derruba-lá, já que Bella estava me agarrando e eu quase a derrubando.

Abri a porta do seu quarto e a carreguei até a cama, deitando-a ali.

– Bells, será que podemos fazer isso? – Indaguei.

– Porque não?!

– Bem… ér… você está, hã, grande…

– OMG! – Ela me socou – Eu estou gorda?! Oh meu Deus!

– Eu já tinha me esquecido de como grávidas eram… – Ri – Amor, você está perfeita, eu quis dizer se não a mal algum fazermos amor.

– Claro que não. – Mordeu os lábios – Ok, você me fez lembrar que estou com uma puta excitação.

Eu senti tanta falta dessa espôntanidade.

Apressei-me em tirar minha blusa e enquanto a beijava. As mãos de Bella trabalhavam no feixe da minha calça. Depois que me livre da minha blusa, comecei a tirar sua roupa, jogando-as no chão, logo, estávamos nus.

– Eu tenho tantas saudades das suas mãos no meu corpo… – Peguei suas pequenas mãos e alisei meu corpo. – Você tinha razão quando disse que ninguém me amaria como você me ama.

Bella sorriu. Fechei os olhos sentindo suas mãos andarem pelas minhas costas, excitando-me.

– Ninguém nunca vai te amar como eu te amo.

Tomei seus lábios, em um beijo voraz.

– Eu preciso de você… – Confessei – Pra sempre.

– Você sempre me teve, sempre me terá.

– Sempre meterei?! – Ri.

– Edward, seu canalha, estragou o romantismo. – Bella resmungou

– Desculpa, não resisti. – Toquei seu nariz.

Ela fez bico. Suspirei.

– Eu te amo, isso basta?!

– Basta.

Bella puxou-me pela nuca, colando nossos lábios novamente. Encaixei-me entre suas pernas, roçando meu membro em sua entrada, molhada.

– Edward… – Bella gemeu.

– Isso amor, pede por mim pede…

– Edward… vem logo, por favor.

Deixei meu membro entrar em sua entrada, deslizando vagarosamente para dentro do seu corpo. Como eu sentia saudades daquela gruta quente e molhada.

– Hm… – Bella e eu gememos.

Comecei a estocar em um ritmo calmo, eu não tinha presa eu queria apreciar aquele momento, eu queria ama-lá de todas as formas. Não demorou muito para as paredes de Bella começarem a me apertar, indicando que seu orgasmo estava próximo, assim como o meu.

[…]

Beijei o ombro nu de Bella, enquanto deixava minha mão alisar sua barriga. Ela se remexeu, abrindo os olhos.

– Eu te acordei? – Indaguei.

– Não… – Sorriu – Que horas são?!

Olhei no relógio que estava sobre seu criado mudo.

– 17:00… – Sussurrei mordendo o lóbulo de sua orelha.

– Hm… – Bella gemeu. – OMG! Renesmee!

Bella assustou-me, pulando da cama.

– Tenho que busca-lá, ela sai 17:30.

– Ok, vou com você.

Bella e eu nos trocamos rapidamente.

– Como vai busca-lá todos os dias se seu carro está com sua mãe?! – Indaguei enquanto Bella prendia o cabelo em rabo de cavalo.

– Andando. – Deu de ombros – A escola é daqui três quadras, nada cansativo.

Bella se olhou no espelho – ela estava linda -, pegou minha mão para sairmos do quarto.

[…]

– Ela deve estar por aqui… – Bella mordeu os próprios lábios enquanto ficava na posta dos pés, procurando por Nessie.

– Não é ela ali. – Apontei para uma menina parecida com Renesmee, que conversava com mais duas garotinhas.

– Sim. – Bella riu – Vai lá, ela vai ficar feliz em ver você.

– Ta.

Colei meus lábios nos seus e fui até Renesmee me aproximando sorrateiramente.

– Cadê seu pai? – Uma das garotinhas perguntou.

– Ele não mora comigo… – Renesmee murmurou.

– É isso ou você é tão chata que nem seu pai te ama? – A outra garota zombou, para logo em seguida explodirem em gargalhada.

– É claro que ele me ama! – Renesmee bateu o pé com a voz embargada

– É claro que eu te amo!

Renesmee girou em seus calcanhares para me olhar.

– PAPAI! – Correu em minha direção, deixando sua bolsa no chão.

– Princesa! – A ergui, pegando ela no colo. – O papai sentiu tanta saudades…

– E-eu também… – Apertei meus braços ao redor do seu corpinho, enquanto a beijava na testa. – Eu amo você.

– Eu também.

– Boa tarde minha pequena…

Renesmee virou em meu colo. Bella beijou sua testa e pegou sua bolsa que estava no chão.

– Nem pensar. – Passei Nessie para um braço e puxei a bolsa de suas mãos. – Não vai ficar carregando peso.

Bella revirou os olhos, Renesmee riu.

– O que ta fazendo aqui? – Minha filha tocou meu rosto.

– Não queria que eu estivesse vindo?! – Perguntei.

– Claro que eu queria! – Revirou os pequenos olhinhos – Só fiquei surpresa.

– Sua mãe disse a mesma coisa. – Sorri colocando ela no chão. – Na verdade eu vim aqui para levar vocês de volta.

– O que?! – Bella indagou surpresa.

– O que é, achou que eu ia vir aqui, me reconciliar e te deixar aqui?! Jamais!

– Conversamos sobre isso depois… – Bella finalizou.

– Como assim depois?! Você não quer voltar para mim?! Você não me quer mais?!

– Edward para de pensar em bobagens, eu já disse que conversamos depois, essa não é a hora.

– É, mamãe tem razão! – Renesmee saltitou – Essa não é hora para “DR’s”, agora é hora de tomar sorvete.

[…]

– Então posso voltar para Forks?! – Emmett indagou enquanto jogava Renesmee no ar.

– Sim. – Sorri.

– Emmett, ponha Nessie no chão! – Bella esbravejou – Ela pode cair ou passar mal.

– Você é tão chata… – Emm colocou Nessie no chão e passou o braço ao redor do pescoço de Bella. – E o nosso bebê, como está.

– Nosso?! – Bella riu – Não me lembro de você ter ajudado… – Bella riu e olhou para mim – Você se lembra dele no dia em que fizemos nosso bebê?

– Não, não curto suruba. – Ri.

– Eu não quis dizer isso… – Emmett revirou os olhos – Mas você já sabe qual é o sexo?!

Olhei para Bella, eu não havia me lembrado desse detalhe.

– Ainda não, minha consulta é amanhã. – Sorriu.

– Então nos ligue avisando o sexo ok? – Emmett beijou sua testa. – Onde está Nessie?

– Lá em cima.

– Ok, vou me despedir dela.

Emmett subiu as escadas, foi a deixa para eu sentar no sofá e puxar Bella para junto de mim.

– Podemos ter aquela conversa? – Indaguei.

– Edward agora não… – Bella tentou se levantar, porém a puxei para meu colo.

– Me diz o por quê? – Acariciei seu rosto – Você não quer mais morar comigo em Forks?!

– Não é isso… – Ela suspirou – Eu só, só tenho medo… medo que aconteça tudo de novo, medo de sofrer tudo aquilo novamente, não sei se agüentarei passar por tudo novamente e…

– Shh… – Beijei seus lábios. – Você acha que eu seria capaz de vir aqui, te levar para Forks e te deixar novamente? – Fiz uma careta – Eu não sou tão cafajeste assim… e não, não precisa ter medo, eu já senti na pele como é te perder… – Joguei sua franja para trás – não quero te perder novamente…

A puxei pelo queixo, colando nossos lábios em um ávido beijo.

– Tudo bem… mas preciso de uma semana mais ou menos para arrumar minha mudança e…

Não deixei ela terminar de falar. Levantei-me do sofá, prendendo Bella em meu quadril enquanto a girava.

– Edward, eu vou…

Coloquei-a no chão. Bella saiu cambaleando até a janela e vomitou.

[…]

– Boa noite princesinha… – Beijei a bochecha de Nessie.

– Eu estava com tanta saudades do meu papai me por na cama… – Mordeu os lábios como Bella fazia.

– Eu também pequena… – Ri – Deixe-me contar um segredo… – Aproximei de seu ouvido. – Eu vou fazer isso pelas próximas noites até você dizer “Pai, eu não sou mais criança”!

Ela riu.

– Você vai morar aqui com a gente? – Indagou em um grito.

– Shhhh! Não, não vou morar aqui. – Fiz cara triste. – Mas vocês vão voltar para Forks para morar comigo!

– AAHHH, OMG!

Renesmee começou a pular na cama enquanto continuava a gritar.

– O que está acontecendo aqui? – Bella entrou no quarto.

– MÃE, EU TE AMO! – Renesmee pulo da cama e abraçou as pernas de Bella.

– Eu também te amo, agora vem… – Bells a puxou para a cama. – Hora de dormir.

Bella e eu colocamos Renesmee para dormir e fomos para seu quarto.

– Amor, posso tomar um banho? – Indaguei.

– Claro.

A puxei pela cintura, colando nossos lábios. Entrei no banheiro e tomei um banho relaxante, porem lembrei-me que não havia trazido roupa alguma.

– Bells… – Me enrolei em uma toalha e sai do banheiro.

– Sim? – Bella estava mexendo em seu closet.

– Tem algum lugar próximo aqui que vende roupa masculina?

Ela riu.

– Eu imaginei… – Revirou os olhos e tirou uma calça de moletom e uma camiseta de seu closet. – Hã, acho que sem querer eu trouxe junto com minhas roupas… – Mordeu os lábios.

Ri. Caminhei até ela e peguei a calça de moletom.

– Essa era a roupa que você usava quando dormia em meu apartamento, logo quando começamos a namorar – A desmenti. – Safada…

– Elas eram praticamente minhas, nem ia fazer falta a você… – Deu de ombros – E serviu para algo, pelo menos você não ira ficar nu.

Coloquei só a calça e me deitei na cama observando Bella andar para lá e para cá como uma barata tonta.

– O que está fazendo? – Sentei-me e a puxei pela cintura.

– Deixando algumas coisas separadas, amanhã é meu ultrassom é cedo.

Sorri, amanha descobriríamos o sexo do nosso bebê.

# 1 Semana depois #

Entrei em casa deixando meu casaco e minha pasta sobre o sofá.

Pelo menos não vou ter que dividir minhas bonecas… – A voz de Renesmee vinha da cozinha. Quando entrei no cômodo sorri. Bella estava de costas para mim próxima a Renesmee, que estava sentada na mesa e sorriu a me ver. Fiz sinal para que ela fizesse silêncio, ela assentiu.

– Isso é egoísmo, só por você ser tão má, seu irmão vai querer brincar com suas bonecas… – Bella disse enquanto apoiava os braços na mesa, ao lado de Nessie. – Já é tarde, onde seu pai se meteu… – Suspirou.

Eu sabia que demoraria a reconquistar a confiança de Bella, mas isso não importava, eu a recuperaria de qualquer forma nem que demore semanas, meses ou anos.

A abracei por trás, depositando um beijo em sua nuca.

– Desculpa a demora… – A virei de frente para mim dando um selinho em seus lábios.

– Onde estava? – Bella mordeu os lábios um tanto apreensiva.

– Te traindo que não era… – Zombei, ela pareceu não gostar do meu trocadilho – Eu estava no hospital amor, pare de pensar bobeiras eu até imagino as suposições que estão rodando em sua cabeça. – Beijei sua testa – Eu não seria idiota em cometer o mesmo erro duas vezes, eu amo a família que tenho, fui um estúpido em fazer as decisões erradas, mas não vou desperdiçar esta segunda chance que Deus me deu.

Bella sorriu puxando-me pela cintura e beijando-me com amor.

– Foi assim que vocês fizeram meu irmão?

A voz infantil de Margareth nos tirou do beijo intenso.

– Algo assim… – Sorri – Então nunca beije na boca…

– Edward! – Bella me beliscou.

– Eu não… – Renesmee pulou da mesa – Isso é… Ew! Nojento.

– Continue assim querida… – Murmurei para ela enquanto a via sair da cozinha. – E AH, OS MENINOS FEDEM!

– Amor… – Bella gargalhou – Como se isso fosse mante-lá longe das coisas boas da vida. – Beijou meu pescoço.

– Não custa nada tentar né?

– É.

Colocamos Renesmee na cama e fomos juntos para nosso quarto. Bella e Renesmee haviam chegado ontem de Los Angeles, quase não tive tempo de ficar com elas por conta do trabalho.

– Vou tomar um banho rápido ok? – Beijei sua testa e entrei no banheiro.

PDV Bella

Esparramei-me em nossa cama, enquanto aguardava Edward. Parando para pensar em tudo o que aconteceu até parece ser um filme, quando eu pensei que não teria mais o meu final feliz Edward aparece em Los Angeles dizendo que tudo foi um erro, que não conseguia mais viver sem mim…

– No que está pensando…

A voz de Edward em meu ouvido despertou-me dos pensamentos.

– Pensando… – Dei de ombros.

– Hum… – Edward deitou sua cabeça em minha barriga sorrindo lindamente. – Já falei que te amo?

Mordi os lábios.

– Nesses últimos 10 minutos não… – Fiz bico.

Edward beijou minha barriga e deitou-se ao meu lado.

– Eu te amo… – Sussurrou entre selinhos.

– Eu também te amo, muito…

Ele deu o seu melhor sorriso torto e mordeu os lábios.

– Sabe… – Derrapou seus lábios em meu pescoço – Nos ainda não reinauguramos nossa cama…

– Aham… – Afirmei fechando os olhos, enquanto jogava minha cabeça para trás dando-lhe mais acesso ao meu pescoço.

– Podemos fazer isso agora? – Mordeu minha jugular.

Ao invés de responder, o puxei pelo cabelo unindo nossos lábios em um beijo calmo. Suas mãos escorregaram pela lateral do meu corpo enquanto as minhas aranhavam levemente suas costas.

Edward rapidamente livrou-se de sua calça de moletom trajando somente sua boxer branca. Livrei-me de minha camisola, ficando só com minhas peças intimas. As mãos ágeis de Edward caminhavam livres pelo meu corpo, acariciando por completa.

– Que saudades em te amar em nossa cama…

– Então me ama amor… – Enlacei seu corpo com minhas pernas. – Estou tão carente…

Edward colocou seu corpo sobre o meu – com cuidado -, e colou nossas testas.

– Todo dia eu chegava em casa não encontrava Nessie, vinha para o nosso quarto e não te encontrava… – Balançou a cabeça – Foi a pior dor que já senti, mas sabe… – acariciou meu rosto – Pensando bem, todos esses problemas que enfrentamos fortaleceram mais ainda nosso amor. – Sorriu – Eu pensava que já te amava, mas precisei te perder para ver o quão essencial você é em minha vida.

– Obrigada por perceber isso… – Enxuguei as lágrimas que escorriam dos meus olhos – Eu já não agüentava viver sem você, não quero nunca mais passar pelo que passei, a dor é insuportável… – Parei de falar quando vi Edward assumir uma mascara de dor, ele se culpava pelo sofrimento que passei, e eu não queria vê-lo triste – Mas já passou né, agora você é só meu e vamos fazer amor em nossa cama… – Colei meus lábios aos seus. O beijo começou a ficar voraz a cada toque que trocavamos.

Edward preparou-se para tirar minha calcinha quando batidas na porta fez nós dois sobressaltar.

– Mamãe, papai…

Edward gemeu, frustrado. Eu ri.

– Já havia me esquecido de como é se atrapalhado por nossa princesinha… – Rolou para fora da cama colocando sua calça e jogando minha camisola para mim.

– Teremos muito tempo para isso certo?

– Certo! – Concluiu.

– Vocês estão acordados?

– Sim querida, só um minuto.

Quando estávamos devidamente vestidos, Edward caminhou até a porta e abriu a porta para Renesmee entrar.

– Não consigo dormir… – Nessie resmungou esfregando as mãos nos olhos.

– Venha… – Edward a pegou no colo, deitando-se ao meu lado e colocando Nessie entre nós.

Os braços de Edward pousaram em minha cintura, fazendo com que ele abraçasse a Nessie e a mim. Estendi minhas pernas tocando as suas.

– Eu amo você duas… – Ele beijou a testa de Renesmee e inclinou-se para colar nossos lábios.

– Eu também amo você dois. – Eu e Nessie respondemos juntas.

PDV Edward

O passado já não importa mais, eu tive que fazer as escolhas erradas para aprender o que era o certo, e o certo é ficar ao lado dos meus filhos e da mulher que amo. Nada vai me fazer distanciar ou deixar minha família, pois eles são as únicas pessoas que me amam de verdade, não vou cometer mais erros.

– Ed, ainda está acordado?

Abri os olhos e sorri.

– Estou.

– Nós não conseguimos reinaugurar nossa cama, mas pode reinaugurar o quarto de hospedes… – Mordeu os lábios de uma maneira sexy.

Levantei da cama – com cuidado para não acordar Renesme, que já dormia. Dei a volta na cama e peguei Bella em meus braços.

– Claro safada, vamos reinaugurar todos os cômodos dessa casa.

Bella passou os braços ao redor do meu pescoço.

Sim, eu tinha certeza! É essa a vida que quero para mim, e não importa as dificuldades, é essa vida que eu vou continuar querendo.

=== FIM ===

  1. Amei, mesmo.
    Muito perfeita, haha
    bgs :*

  2. MUITO linda!!!*-*
    Caah vc escreve muito bem menina…continue assim!!
    Krisses :*

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: